Startup de carros autônomos Zoox demite humanos na pandemia

1 min de leitura
Imagem de: Startup de carros autônomos Zoox demite humanos na pandemia
Imagem: Zoox
Avatar do autor

A startup de carros autônomos Zoox, avaliada em cerca de US$ 3 bilhões, demitiu quase todos os motoristas de segurança humanos que atuavam na companhia. De acordo com informações obtidas pelo The Verge, cerca de 120 funcionários foram mandados embora da empresa, que foi uma das primeiras a testar veículos que dirigem sozinhos com passageiros na Califórnia.

A empresa extinguiu vagas de motorista de segurança, que são as pessoas que ficam dentro do carro autônomo durante os testes nas ruas, posição exigida por lei em muitos locais nos Estados Unidos. Segundo um comunicado da companhia, as demissões foram realizadas devido ao estado de quarentena no país.

Conceito de carro 100% autônomo da ZooxConceito de carro 100% autônomo da ZooxFonte:  Zoox 

Os trabalhadores demitidos foram informados sobre o ocorrido em um e-mail enviado pela empresa na sexta-feira (3). As especulações sobre o corte em massa já estavam rolando desde que uma conversa entre colaboradores vazou e indicava cortes na força de trabalho após 7 de abril.

A empresa disse que manteria o salário de seus funcionários até a data, mas como o período de quarentena foi estendido, a startup optou por demitir os motoristas. De acordo com o The Verge, a Zoox é a primeira grande firma de carros autônomos a realizar uma demissão em massa ao invés de simplesmente suspender suas operações.

Promessa de recontratação

De acordo com a Zoox, as demissões não devem ser consideradas um "padrão" e a atuação da empresa deve retornar ao normal após o período de pandemia global. A firma até disse que pretende recontratar todos os funcionários afetados. "A Zoox tem toda a intenção de retomar testes e práticas comerciais normais e precisará de seus esforços para voltar aos trilhos", comentou a firma em um comunicado enviado aos funcionários.

A empresa explicou que as demissões têm relação com o estado de isolamento social aplicado na Califórnia, Estados Unidos, que aumentou o período de quarentena até dia 3 de maio. Com a extensão do combate à covid-19, a empresa manteve apenas funcionários que "podem trabalhar remotamente".

Enquanto a promessa da recontratação fica no ar, ex-funcionários da empresa que conversaram com o The Verge disseram que duvidam do posicionamento da Zoox. Segundo um dos antigos colaboradores, que deixou a companhia em dezembro, a empresa possui "alto índice de rotatividade": das sete pessoas que foram contratadas com ele, cinco acabaram sendo demitidas em menos de um mês.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Startup de carros autônomos Zoox demite humanos na pandemia