Uber começou a implementar um novo sistema que vai monitorar os antecedentes criminais dos motoristas parceiros da empresa em tempo real, de acordo com informações do Axios. O processo começou a valer nos Estados Unidos e tem como objetivo remover rapidamente pessoas acusadas ou condenadas por delitos, crimes violentos e agressões sexuais.

Como a medida vale também para pessoas que estão sendo apenas acusadas de um crime, é possível que inocentes sejam proibidos de trabalhar com a empresa. No entanto, o fato de a checagem ser feita em tempo real significa que a pessoa poderá voltar a tentar dirigir com a Uber no momento em que for considerada inocente. De acordo com o Axios, a empresa se reserva o direito de decidir quem vai suspender.

Essa ideia começou a ser testada no início de julho e 25 motoristas foram removidos até o momento por causa dos novos critérios. É uma tentativa da empresa de reduzir o número de casos de crimes cometidos por motoristas, uma crítica que não é exatamente nova.

A Uber já tinha um processo para verificar os antecedentes criminais dos motoristas, mas isso era feito apenas uma vez ao ano. Com o novo sistema, todas as informações serão atualizadas em tempo real, acelerando o processo. Embora tenha sido implementado, esse novo modelo ainda é considerado como em fase inicial de testes. A empresa não falou se pretende levar a ideia para outros países.