Se o transporte individual privado está saindo de moda — o número de habilitações no Brasil caiu 53% entre 2013 e 2015, informa o Denatran —, surgem como alternativas as opções de transporte compartilhado, como os já tradicionais serviços de compartilhamento de carona como Uber, 99, Cabify, Easy e vários outros.

Outra modalidade, essa mais antiga, é a de aluguel de veículos, vista por muita gente como pouco vantajosa em comparação com os apps de carona, mas que é capaz de oferecer preços melhores de acordo com a quantidade de quilômetros percorridos e o tempo de aluguel. Para esclarecer isso, o site Cuponation criou um infográfico interativo que compara valores e distâncias.

Quando o aluguel é melhor

Segundo a publicação, para distâncias a partir de 30 km, o aluguel sai mais vantajoso do que pedir um Uber — isso levanto em conta as categorias mais baratas de cada modalidade. Quem procura mais conforto e quer alugar um carro um pouco melhor paga menos fazendo isso desde que a distância percorrida supere os 42 km. No aluguel de veículos luxuosos, a distância mínima para pagar menos em comparação com Uber e afins é de 62 km.

Para chegar a esses números, a pesquisa levou em conta a velocidade média de 20 km/h, considerada pela companhia como comum em grandes cidades em horário de trânsito mais intenso.

Uber vs aluguelUber vs aluguel: cada um tem as suas vantagens.

Além disso, quando se trata de viagens mais longas, o aluguel de veículos também soa como uma alternativa mais em conta: de acordo com a pesquisa, um trecho de 300 km percorrido a 120 km/h custaria R$ 460 no Uber, enquanto sairia R$ 180 com um veículo alugado. Como o aluguel tem valor médio diário reduzido conforme o tempo de contrato é maior, o ideal, aponta o estudo, é se planejar para alugar pelo maior período possível e evitar alugueis “picados”.

Quando o app de caronas é melhor

Se para distâncias maiores o aluguel é a melhor saída, o contrário também vale e recorrer ao app de caronas é o ideal quando o destino é um local a uma distância relativamente curta. “A regra geral parece ser a de que, para deslocamentos menores (como dentro da cidade), os apps tendem a ser mais vantajosos que o aluguel”, sentencia o estudo.

Clique aqui e confira o infográfico na íntegra.