Especialistas alemães apresentaram hoje algumas informações importantes para definir os próximos passos no desenvolvimento de tecnologias de direção autônoma. O grupo apresentou uma proposta de como esses veículos deverão se comportar quando confrontados com uma situação de dilema moral em um possível acidente.

O que isso significa? Bem, numa situação hipotética de que o sistema deva decidir entre atropelar um cachorro ou desviar sobre o risco de colidir com outro veículo, o carro vai priorizar a proteção dos humanos.

“A proteção da vida humana deve ser a prioridade máxima”, diz o documento da Comissão Alemã de Ética, um painel de 14 especialistas de múltiplos segmentos relevantes da indústria, entre filósofos, especialistas em tráfego, teólogos, representantes das montadoras e outros.

Um dos exemplos de dilema moral dos carros autônomos

Foram 20 pontos levantados pelo grupo em um documento, com destaque para os que ressaltam a importância da direção autônoma na redução dos acidentes relacionados aos motoristas humanos e que é essencial que seja possível identificar claramente de quem é a culpa em caso de acidentes – se será o computador ou do condutor humano.

A decisão moral dos sistemas autônomos é um dos grandes problemas enfrentados pelos desenvolvedores e pelos órgãos regulamentadores – junto com a parte de segurança e também a de infraestrutura.