Johannes Remmel, então ministro do meio ambiente para o estado de Renânia do Norte-Vestfália, na Alemanha, comprou um Tesla Model S 90D enquanto ocupada sua posição e, também, para reafirmar sua posição ecologicamente correta. No entanto, de acordo com a o Automotive News, ele resolveu devolver o carro por medo de falta de autonomia.

O político, que usou o equivalente a US$ 115 mil em fundos governamentais para adquirir o veículo, queria testar quão viável era usar um elétrico em sua rotina diária, que envolvia dirigir por todo o estado. Depois de 43 dias, entretanto, ele devolveu o Model S porque não confiava que o carro tivesse autonomia suficiente para continuar usando.

Ele afirmou que, apesar de ser confortável e ter desempenho superior a outros VEs, o veículo não era capaz de rodar nem por 400 quilômetros com uma carga completa – apesar da especificação dizer que o carro tem 500 quilômetros de autonomia. Segundo o ministro, não era possível andar por 150 km sem ser forçado a voltar para recarregar, a não ser que ele reajustasse o seu estilo de condução a um nível extremo.

A compra feita pelo governo causou controvérsia na Alemanha, principalmente depois que o ministério afirmou que os carros elétricos alemães não tinham autonomia suficiente para andar por um estado tão grande quanto Renânia do Norte-Vestfália. Ao que tudo indica, o americaníssimo Tesla também não se saiu muito bem.