As montadoras estão percebendo que desenvolver carros elétricos e autônomos não é tão barato assim, então algumas delas, como a Nissan, estão terceirizando a produção de componentes. A montadora nipônica vendeu sua subsidiária que fabricava baterias, a Automotive Energy Supply Corporation, para uma empresa chinesa de investimentos, a GSR Capital.

Não se sabe qual foi o valor da transação, mas a empresa afirma que o movimento foi um “ganha-ganha” tanto para a AESC quanto para a Nissan. Isso porque a fabricante de baterias poderá se beneficiar dos investimentos da GSR para expandir sua produção e também atender outros clientes, enquanto a Nissan consegue manter os custos do seu processo sob controle.

“Isso vai aprimorar a competitividade dos veículos elétricos da Nissan. A AESC vai continuar sendo um parceiro muito importante para a empresa, já que vamos aprofundar ainda mais nosso foco em desenhar e produzir veículos elétricos líderes de mercado”, explicou Hiroto Saikawa, presidente e CEO da Nissan.

A GSR, por sua vez, assume as operações de manufatura de baterias da AESC nos Estados Unidos e na Inglaterra, além das funções de engenharia no Japão.