A Uber, além de resolver fazer com que as coisas fiquem mais corretas com seus funcionários, também quer “fazer as pazes” com os motoristas do serviço – tudo parte do programa “180 dias de mudança” que a empresa está conduzindo para consertar tudo que deu errado nos últimos meses.

Uma das formas que a companhia encontrou de ajustar as contas com os motoristas veio na cobrança de US$ 15 (cerca de R$ 47 em conversão direta) para o retorno de objetos esquecidos nos carros: enquanto o processo era muito cômodo e prático para o usuário, para os parceiros da Uber poderia ser uma verdadeira dor de cabeça – cada motorista retornava cerca de 11 itens perdidos por ano, entre smartphones e chaves.

A medida, segundo o site UberPeople, vai ser rodada como piloto em Los Angeles primeiro antes de ser expandida para o resto dos Estados Unidos e, depois disso, possivelmente para os outros países em que a empresa está presente. Parte da “taxa de entrega”, como está sendo chamada a cobrança, será direcionada para o motorista.

Essa, no entanto, é apenas uma das mudanças promovidas pela Uber para a melhoria das condições para os condutores. A companhia também prometeu uma linha de suporte telefônico, disponível 24 horas por dia e sete dias por semana, proteção para as classificações, revisões mais rápidas de documentação e até mesmo a opção de reuniões presenciais agendadas com a empresa. Além disso, especialmente nos Estados Unidos, as pessoas terão a opção de dar gorjetas.