Esta semana, a Audi se juntou à Uber e à Tesla no grupo de empresas que apareceram em notícias todos os dias – e, mais uma vez, o protagonista da montadora alemã é a mais nova versão do seu sedã de luxo A8.

Depois da massagem nos pés e da suspensão ativa inteligente, o pacote completo dessa imensa panquecona sobre rodas com recheio de luxo e tecnologia foi revelado e, claro, não é nada mal.

O destaque, no entanto, fica pelo sistema de direção semiautônoma que foi integrado ao veículo, que é um dos primeiros a chegar ao nível 3 da escala SAE, o que significa que ele permite que o motorista possa tirar completamente sua atenção da direção por alguns momentos.

A tecnologia, baseada em uma direção comandada por inteligência artificial, conta também com uma função chamada Traffic Jam Pilot que, como o nome indica, vai permitir que o condutor possa fazer qualquer coisa enquanto o sistema lida com trânsito parado ou se movimentando a menos de 60 km/h. Tudo isso é feito com a ajuda de uma estrutura complexa de radares, câmeras e sensores ultrassônicos distribuídos ao redor de todo o carro:

Quando eles falam qualquer coisa, é qualquer coisa mesmo: “O Traffic Jam Pilot cuida da parte de ligar, acelerar, esterçar e frear. O motorista não precisa monitorar o carro permanentemente. Eles podem tirar suas mãos do volante e, dependendo das leis nacionais, focar em uma atividade diferente que é suportada pelo carro, como assistir TV no sistema de infotainment”, explicou a marca.

O detalhe é justamente na parte de “dependendo das leis nacionais”: quase nenhum país permite que o sistema de direção semiautônoma seja utilizado sem qualquer intervenção humana.

Por isso, a Audi decidiu que as funções serão integradas de forma progressiva no veículo: começando em 2018 com assistência de estacionamento – que estaciona o seu carro sozinho para você, tanto em vagas quanto na garagem – e depois a chegada do Traffic Jam Pilot.