É inegável: o processo de caronas pagas, ou ride hailing, chegou para ficar. A parte irônica disso é que a empresa que liderou essa pequena revolução na forma como nos movemos por aí, a Uber, está tendo que encontrar um caminho para sua redenção, depois de ser tomada por problemas nos últimos meses.

Por outro lado, sua principal concorrente nos Estados Unidos, a Lyft, está decolando e acaba de atingir uma marca importante de 1 milhão de corridas diárias no país e está na direção certa para chegar as 350 milhões de corridas anuais.

A empresa do bigode cor-de-rosa, afirma que chegou aos 30% de participação no mercado nacional, mas opera em apenas 350 cidades dos Estados Unidos, enquanto a Uber está em 614 cidades ao redor do mundo todo – que acabam contribuindo para que a vanguardista atingisse a marca de 5 bilhões de corridas na semana passada.

O presidente da empresa, John Zimmer, disse que o principal diferencial da empresa, que está formando parcerias importantíssimas e diversificando seu negócio aos poucos, é o foco na experiência final dos usuários.