Quando o tablet híbrido Surface foi anunciado pela Microsoft, o presidente da concorrente Apple, Tim Cook, foi irônico ao citar o lançamento como uma mistura de “torradeira com geladeira”. Agora, três anos depois, é a Maçã que tenta capitalizar sobre um dispositivo semelhante: o iPad Pro. O episódio foi lembrado pelo CEO da gigante de Redmond, Satya Nadella, que avaliou os projetos de sucesso de seus quatro anos no cargo e das próximas temporadas.

“Há três anos, o dois-em-um (Surface) foi questionado. ‘Alguém precisa disso?’ E agora, adivinhe, até a nossa concorrência decidiu que não se trata nem de uma geladeira e muito menos de uma torradeira, e sim de um híbrido”, cutucou Nadella, em entrevista concedida ao jornal australiano Financial Review. O CEO da Microsoft esteve no país para acertar detalhes com desenvolvedores.

O híbrido Microsoft Surface, com acessório que transforma o tablet em ultrabook

Uma dessas conversas, segundo o periódico, seria para assinar contratos sobre o uso da  Inteligência Artificial (ou Artificial Intelligence - AI) em nuvem com a empresa aérea Webjet e o time nacional de críquete. Com a primeira, a Microsoft cria um serviço de agendamento de quartos de hotel aliado a um banco de dados crescente, para acelerar pagamentos, aumentar a segurança e reduzir custos. Com o segundo, Nadella fecha uma parceria para dados e estatísticas em prol de uma equipe esportiva ainda mais competitiva.

Inteligência Artificial avançada na nuvem

A grande “menina dos olhos” da Microsoft atualmente é sua complexa AI aliada à sua poderosa tecnologia em nuvem Azure. Os investimentos em infraestrutura e serviços nos últimos quatro anos agora rendem resultados e a empresa de Redmond acredita ter em mãos um produto muito superior ao da rival Amazon.

Prova disso seria o maior agrupamento de campos customizados programáveis já reunidos. Nadella descreve essa tecnologia como chips diferenciados, implantados nos centros de dados, capazes de criar o primeiro supercomputador com AI. Sua demonstração aconteceu durante uma conferência recente, na qual cinco milhões de artigos da Wikipedia foram traduzidos para outra língua em menos de um décimo de segundo.

A nuvem Azure ganhou o poder da complexa AI da Microsoft

Ainda que a Google, a AWS e a IBM estejam também à frente de muita gente nesse setor, o executivo diz que seu grupo está em outro nível quando se trata de complexo reconhecimento de fala e imagem.

Foco no que interessa

Para crescer diante dos desafios da indústria de tecnologia, Nadella explicou que precisou se concentrar no que vinha dando certo em vez de continuar apostando em segmentos duvidosos para a companhia, como o de smartphones. O Windows Phone não vingou, mesmo com o suporte da Nokia, e agora deve ter um diferente tratamento dentro da empresa, próximo do hardware e da marca Surface.

A própria linha de híbridos deve ganhar um impulso nas próximas temporadas, com a invasão dos headsets de Realidade Virtual (ou Virtual Reality - VR) e Realidade Aumentada (ou Augmented Reality - AR) das Hololens e a comunicação das máquinas com os consoles XBox One. Ou seja, para vencer Apple e Amazon, a gigante de Redmond minimizou os erros e investiu no que tem de melhor, sem bater de frente com as rivais em nichos nos quais não vai bem.

Cupons de desconto TecMundo: