O Edge é um navegador que, pouco a pouco, apesar de enfrentar certa impopularidade, consegue se estabelecer no mercado e trazer recursos que (quase) competem em pé de igualdade com o Google Chrome e o Firefox. Substituto direto do Internet Explorer, que está aposentado (mas ainda ativo em muitas máquinas), o Edge vai receber uma série de melhorias este ano.

A Microsoft compartilhou os detalhes de diversas novidades que trará ao browser nos próximos meses. Muitas delas são voltadas a desenvolvedores, enquanto outras trazem melhorias na experiência do usuário comum.

Prioridades para 2016

A Microsoft diz que tem diversas prioridades para este ano, as quais devem ser vistas pelos desenvolvedores e programadores como “formas de padrões” para trazer mudanças e adendos ao Edge. Basicamente, as premissas defendidas pela empresa de Bill Gates para o navegador são as seguintes:

  • Entregar uma moderna plataforma de extensão que conte com tecnologias da web e a Windows Store
  • Potencializar todos os usuários do Microsoft Edge através de acessibilidade e design inclusivo
  • Continuar a reforçar os fundamentos do Microsoft Edge: segurança, desempenho e eficiência
  • Entregar mais canais para feedback e participação da comunidade

A Microsoft já prometeu que abriria as portas para extensões ao browser, algo que estava, primeiramente, agendado para o final de 2015, mas que foi adiado para o começo deste ano.

Diferentemente das adições do Internet Explorer, a plataforma do Edge terá tecnologias da web. Todas as extensões serão consideradas, entregues e gerenciadas por meio da Windows Store. Infelizmente, a Microsoft ainda não anunciou uma data exata para a chegada das extensões, mas garantiu que “exemplos preliminares” serão apresentados em breve por meio do programa Windows Insider.

Muita acessibilidade

Em termos de recursos de acessibilidade, a Microsoft iniciou o desenvolvimento em grandes melhorias focadas nos seguintes objetivos:

  • Modernizar o sistema de acessibilidade para suportar o HTML5 e o CSS3 no Windows 10
  • Habilitar o HTML e os mapeamentos da API de acessibilidade ao núcleo
  • Adicionar controles acessíveis de HTML5 e novos elementos semânticos
  • Melhorar o suporte a alto contraste
  • Modernizar a experiência de navegação e novas modalidades de entrada
  • Trazer ferramentas de desenvolvedor para a construção e o teste de sites acessíveis
  • Investimentos de longo prazo como a API Web Speech e acessibilidade baseada em scripts

Em termos de experiência de navegação, os seguintes aspectos serão aprimorados:

  • Evoluir a segurança do produto em múltiplas dimensões
  • Habilitar o desempenho do scrolling do teclado e a interatividade
  • Isolar o Adobe Flash em um processo e pausar conteúdo desnecessário
  • Continuar a explorar os limites da GPU por meio de gráficos nativos do Windows
  • Melhorar a suspensão de guias em background, timers e processamento

Em palavras resumidas e simples, essas implementações “técnicas” se traduzem numa melhor experiência do usuário, seja em navegação, em reprodução de conteúdo ou em qualquer outra utilização.

Como você avalia sua experiência de navegação com o Microsoft Edge? Comente no Fórum do TecMundo.

Cupons de desconto TecMundo: