NFT do primeiro tweet da história desvaloriza e dá prejuízo

1 min de leitura
Imagem de: NFT do primeiro tweet da história desvaloriza e dá prejuízo
Imagem: Shutterstock
Avatar do autor

O token não-fungível (NFT) que representa o primeiro conteúdo postado na rede social Twitter desvalorizou quase por completo em pouco mais de um ano.

O NFT foi criado pelo cofundador e ex-CEO do Twitter, Jack Dorsey, que foi o próprio autor da publicação em 21 de março de 2006. Em março de 2021, o token foi leiloado por US$ US$ 2,9 milhões — valor totalmente convertido pelo empresário para bitcoin e doado para a instituição social GiveDirectly.

O NFT comercializado na plataforma OpenSea.O NFT comercializado na plataforma OpenSea.Fonte:  OpenSea 

O atual dono da arte digital, um empreendedor chamado Sina Estavi, colocou novamente o tweet no mercado. O problema? Até agora, ele não chegou nem perto do preço pago originalmente.

Longe do ideal

No momento de publicação desta matéria, o lance mais alto é de cerca de 3,3 Ethereum, o que equivale a cerca de US$ 9,9 mil. Em uma mensagem anterior, o empresário indicou que esperava lances na casa dos US$ 50 milhões, pensando em doar metade para órgãos de caridade.

A postagem chegou até a receber uma resposta de Dorsey, questionando por que ele não doaria todo o valor.

Apesar de ter movimentado mais de US$ 17 bilhões em 2021, a venda de NFTs desacelerou com a virada do ano por uma série de motivos. Elas incluem suspeitas do uso dessa tecnologia em fraude, aplicação de golpes financeiros em plataformas da área e o caso do primeiro tweet, que é a desvalorização após um momento de euforia.

Além disso, estudos como o da Chainalysis mostram que há uma concentração de muitos tokens digitais nas mãos das mesmas poucas pessoas, o que indica que o setor não está difundido como o esperado.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.
Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.