Nike pede registro de roupas e calçados virtuais de olho no mercado de NFTs

3 min de leitura
Patrocinado
Imagem de: Nike pede registro de roupas e calçados virtuais de olho no mercado de NFTs
Avatar do autor

Equipe TecMundo

@tec_mundo

Os Non-Fungible Tokens (NFTs) estão com tudo, e a Nike também quer estar na crista da onda. Por isso, no final de outubro, ela solicitou o registro da sua marca para uso em produtos virtuais em terras estadunidenses, incluindo roupas e calçados. Foram sete pedidos de marcas registradas e patentes pela empresa junto ao Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos. O objetivo destas solicitações é proteger as suas marcas em algumas categorias, como serviços relacionados a varejo e entretenimento e “bens virtuais para download”.

Mochilas, bonés, bolsas, óculos e equipamentos esportivos da Nike e Jordan estão inclusos na lista de itens digitais solicitados pela gigante norte-americana, assim como os seus logotipos Swoosh e Jumpman e o slogan ‘Just do it’. Essa medida indica que a Nike está interessada nos famosos NFTs, e um outro indício é o fato de que a companhia abriu quatro vagas de emprego para “designers de materiais virtuais” que irão “criar e visualizar os mais sofisticados e inovadores materiais virtuais conceituais do mundo utilizando ferramentas 3D” junto à equipe de designer de materiais.

No documento de patente, a multinacional descreve a sua proteção de marca registrada e patente de  “bens virtuais para download, ou seja, programas de computador com calçados, roupas, chapéus, óculos, bolsas, bolsas esportivas, mochilas, equipamentos esportivos, arte, brinquedos e acessórios para uso online e em mundos virtuais online”.

Popularidade dos Non-Fungible Tokens

Tokens não-fungíveis, em tradução livre, os NFTs são um tipo de bem digital que vêm bombando em popularidade neste último ano. Cada um deles, que pode ser uma imagem, texto, música, ou até mesmo peça de roupa em 3D, como provavelmente será o caso da Nike, possui uma única assinatura digital que diz quem é o seu dono. Ele existe em blockchain, como as criptomoedas, e de maneira semelhante, estão sendo utilizados em inúmeros setores.

Assim como os tokens não fungíveis, o bitcoin, antes era algo muito pouco conhecido pela maioria de nós, mas hoje pode ser aceito como pagamento em e-commerces, estabelecimentos físicos, e até nas casas de apostas que aceitam bitcoin, permitindo que o consumidor mantenha a sua privacidade e faça transações de maneira mais simples. No universo das apostas esportivas, por exemplo, este método de pagamento é bastante escolhido por palpiteiros - tanto que várias operadoras dão incentivos para quem aposta em criptomoedas, com o objetivo de popularizar ainda mais essa forma de pagar e receber dinheiro.

Já os NFTs começaram a se tornar conhecidos no universo da arte digital. Antigamente, quando somente existiam pinturas físicas, um colecionador poderia adquirir a obra de arte sabendo que ela é única - com mídias digitais, isso não seria possível sem os NFTs. Cada token vendido tem uma assinatura atribuída a si, que informa o dono daquela obra - ou seja, mesmo que uma arte digital em NFT seja reproduzida hoje, sempre é possível rastrear o seu dono real na rede de blockchain.

E na moda?

No mundo da moda não vem sendo diferente, e muitas empresas já estão vendo o potencial desse mercado para a venda de itens digitais. Por exemplo, no início do ano a empresa de tênis virtuais RTFKT Studios fez uma parceria com o artista de cripto FEWOCiOUS para produzir uma série de três tênis acompanhada de itens digitais. No leilão, aqueles que quisessem poderiam testar os tênis virtualmente, via Snapchat, e então dar um lance em qualquer um dos três modelos. Foram mais de 600 pares vendidos, com uma receita de US$3.1 milhões. Os vencedores também poderiam receber uma versão física dos seus tênis, mas o valor pago foi para as edições limitadas no mundo digital.

Já a marca “Overpriced”, que se considera a primeira marca de moda com foco em NFTs, teve como primeiro produto vendido um item físico. O casaco moletom encapuzado tem um código escaneável em sua estampa, que permite que a pessoa vista e mostre o seu NFT único para quem quiser escanear. Ele foi vendido na plataforma BlockParty por US$26,000.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.