Mineradores de Ethereum contabilizam US$ 1,8 bilhão em carteiras

1 min de leitura
Imagem de: Mineradores de Ethereum contabilizam US$ 1,8 bilhão em carteiras
Imagem: Unsplash
Avatar do autor

A Ethereum (ETH) é considerada uma das criptomoedas mais confiáveis desse mercado, logo ao lado do Bitcoin. Por isso, a mineração dela é gigante — tanto que, atualmente, a quantia do ativo nas mãos de mineradores é a maior desde o lançamento da ETH, há 5 anos.

De acordo com dados da empresa de análise Santiment, os mineradores de Ethereum contam com o pico histórico de US$ 1,85 bilhão em Ethereum atualmente. Ou seja, são mais de 532 mil ETH espalhadas em carteiras de pessoas que mineram ao redor do mundo.

ETH é considerada a segunda maior criptomoeda

A acumulação da criptomoeda é realizada desde que a ETH se destacou, mas foi na atualização London, lançada em agosto, que os profissionais de mineração tiveram mais interesse em acumular o ativo. A ideia é aguardar o melhor momento para vendê-las em alta.

Bitcoin avança para US$ 54 mil e retoma tendência de alta

Nos últimos meses, a Ethereum já recebeu queimas de taxas de hash e de moedas: só no último mês, foram queimadas 473 mil ETH. Ao todo, o montante de moedas inutilizado, visando gerar valorização futura, já passou de US$ 1 bilhão.

Atualmente, o fornecimento circulante da moeda é de 117,8 milhões de unidades, sendo que as carteiras dos mineradores representam cerca de 0,45% do total. Já a capitalização de mercado está avaliada em US$ 429 bilhões.

Apesar de guardarem a moeda com unhas e dentes, os mineradores costumam vender pequenas partes de Ethereum regularmente para ajudar a pagar os custos de hardware e eletricidade.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.