#AppleToo já reuniu quase 500 histórias de assédio, diz organização

1 min de leitura
Imagem de: #AppleToo já reuniu quase 500 histórias de assédio, diz organização
Imagem: Alexandr Bormotin/Unsplash/Reprodução
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

A campanha #AppleToo, criada por profissionais da empresa para reunir denúncias de assédio e más condições no ambiente de trabalho, já reuniu quase 500 depoimentos, indica a organização do movimento — que promete torná-los públicos a partir desta segunda-feira (30).

"Há centenas de histórias de racismo, sexismo, discriminação, retaliação, bullying e outras formas de assédio, incluindo sexual, protagonizadas por colegas das vítimas fora das instalações da companhia e ignoradas pelo setor de recursos humanos", destaca a equipe responsável pela iniciativa em publicação no Twitter desta sexta-feira (27).

O próximo passo, complementa, é auxiliar alvos de ações danosas a reportarem o que passaram a organizações trabalhistas externas.

Isolamento, degradação e manipulação

De acordo com o The Verge, há pelo menos 16 profissionais à frente do #AppleToo – sendo que uma dessas pessoas já não faz mais parte do quadro da big tech. O grupo alega que a cultura do sigilo protege a gigante de uma análise pública transparente, pois situações degradantes enfrentadas por grupos historicamente marginalizados em suas instalações não são compartilhadas.

Os denunciantes avisam: "Quando exigimos [da Apple] responsabilização e reparação por injustiças persistentes que testemunhamos ou vivenciamos em nosso local de trabalho, nos deparamos com um padrão de isolamento, degradação e manipulação. Isso acaba agora."

Até o momento, a Apple não comentou oficialmente sobre o assunto.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.