Intel terá que pagar US$ 2,18 bilhões por quebra de patente

1 min de leitura
Imagem de: Intel terá que pagar US$ 2,18 bilhões por quebra de patente
Imagem: Intel
Avatar do autor

A Intel foi condenada a pagar uma indenização de US$ 2,18 bilhões por quebra de patente por tecnologia relacionada à fabricação de chips. O valor é um dos maiores da história nos Estados Unidos. Só perde para o obtido pela Merck & Co., referente ao tratamento contra a hepatite C.

Segundo um júri do Texas, a empresa infringiu duas patentes de propriedade da VLSI Technology. "As patentes cobrem invenções que aumentam a potência e a velocidade dos processadores, uma questão fundamental para a concorrência", disse Morgan Chu, advogado da empresa.

O caso é complexo. Uma das patentes foi emitida originalmente em 2012 para a Freescale Semiconductor Inc. e, a outra, em 2010 para a SigmaTel Inc. Em 2015, ambas empresas foram adquiridas pela NXP, que repassou os manifestos para a VLSI quatro anos depois.

Intel é condenada a pagar indenização por quebra de patente de chipsIntel é condenada a pagar indenização por quebra de patente de chipsFonte:  Pixabay 

Cabe recurso?

A empresa soltou uma nota, informando que "discorda veementemente do veredicto do júri". Completou que pretende apelar da decisão e que está confiante de que prevalecerá.

A indenização pela quebra de patente representa cerca de metade do lucro do quarto trimestre da Intel, em 2020. A empresa comandou a indústria de chips e arrecadou cerca de US$ 400 bilhões durante os últimos 30 anos.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.
Intel terá que pagar US$ 2,18 bilhões por quebra de patente