Intel admite defasagem e diz que alcançará 7 nanômetros em 2021

1 min de leitura
Imagem de: Intel admite defasagem e diz que alcançará 7 nanômetros em 2021
Avatar do autor

Apesar de ser líder no mercado de processadores de computador, a Intel está perdendo no processo de fabricação e vai continuar atrás de rivais como AMD neste aspecto durante os próximos anos. Em uma conferência do grupo financeiro Morgan Stanley, o CFO da empresa, George Davis, admitiu que a fabricante está defasada e só alcançará a litografia nas CPUs da concorrente a partir de 2021.

Segundo o executivo, a empresa "definitivamente alcançou a era dos 10 nanômetros" com a chegada dos chips Ice Like ao mercado, mas ainda precisa de mais tempo para pular para a litografia de 7 nanômetros. Com isso, a companhia seguirá sua tática atual e lançará processadores baseados em versões refinadas de seu processos de fabricação atuais até o final de 2021.

(Fonte: WccFTech/Reprodução)

A AMD, principal concorrente da Intel no mercado de desktops, atualmente utiliza o processo de fabricação de 7 nanômetros em seus processadores da linha Ryzen. De acordo com George Davis, a dona dos chips Core não vai conseguir alcançar as empresas que já utilizam a litografia, mas deve assumir a liderança no mercado de produção quando trabalhar com 5 nanômetros. Uma data para isso acontecer, porém, não foi fornecida pelo executivo.

Enquanto isso, a TSMC, parceira da AMD, já estuda implementar o processo de fabricação em 3 nanômetros a partir de 2022, o que pode ser um balde de água fria para a Intel. Ainda assim, Davis disse que está tentando tranquilizar os investidores explicando que o longo período de desenvolvimento pode garantir litografias com melhor desempenho e produtos mais competitivos.

Além disso, o executivo disse que a demanda pelos componentes da empresa ainda continua forte, mesmo com a defasagem no processo de fabricação. "Esperamos ver uma dinâmica competitiva no segundo semestre do ano", comentou Davis. "Pensamos que veríamos isso mais cedo, mas o que temos é uma demanda muito forte por nossos produtos."

Enquanto a transição de litografias nos processadores Intel ainda vai demorar, a companhia tem para 2020 uma grande novidade: a empresa lançará este ano a sua primeira linha de placas de vídeo dedicada, com produtos feitos para disputar com NVIDIA e AMD.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Intel admite defasagem e diz que alcançará 7 nanômetros em 2021