Satélites de Elon Musk começam a atrapalhar astrônomos

1 min de leitura
Imagem de: Satélites de Elon Musk começam a atrapalhar astrônomos
Avatar do autor

Quando a rede de satélites de Elon Musk estiver completa, talvez não sobre espaço para que astrônomos na Terra consigam ver o espaço – isso, sem contar as constelações de dispositivos concorrentes, como OneWeb, Telsat e Amazon (e não esqueçamos dos 330 milhões de objetos de tamanho superior a 1 mm rodando sobre nossas cabeças).

Astrônomos do Observatório Interamericano Cerro Tololo, no Chile, registraram os primeiros problemas dessa superpopulação quando um colar de 19 Starlinks levou cinco minutos para cruzar as lentes da Câmera de Energia Escura (DECam, acrônimo em inglês).

"Uau! Estou chocada! Uma enorme quantidade de satélites Starlink cruzou nossos céus hoje à noite em @cerrotololo. Nossa exposição DECam foi fortemente afetada por 19 deles! O trem de satélites Starlink durou mais de 5 minutos! Um pouco deprimente… Isso não é legal!", disse no Twitter a astrônoma Clarae Martínez-Vázquez.

Respondendo ao tweet, o astrônomo Cliff Johnson, colega da pesquisadora no observatório, postou uma imagem das trilhas de satélite espalhadas pela imagem capturada:

As imagens conseguidas na manhã do último dia 18 registraram a passagem dos satélites. (Fonte: Twitter/Cliff Johnson)

Elon Musk garante que tinta preta resolve o problema

Se os 42 mil satélites StarLink forem visíveis a olho nu (como alguns previram), eles vão superar o brilho das estrelas mais brilhantes. À época em que uma trilha deles cortou os céus da Holanda, Elon Musk disse que os satélites seriam menos perceptíveis quando ocupassem estivessem em altitude mais alta e que, no futuro, sua base seria pintada de preto.

Para Cliff Johnson, "esse pode ser o começo de problemas para os astrônomos; a reação e o alarme da comunidade não são injustificados. As megaconstelações de satélite, se realmente se concretizarem, podem impactar significativamente nossos dados observacionais".

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Satélites de Elon Musk começam a atrapalhar astrônomos