A Apple não costuma divulgar com frequência todas as aquisições que faz, mas isso não quer dizer que a criadora do iPhone deixa de investir em outros negócios. Em entrevista à CNBC, o CEO da companhia, Tim Cook, revelou que a empresa adquiriu de 20 a 25 startups durante os últimos seis meses.

Segundo as estimativas de Cook, a Apple compra uma nova companhia a cada duas ou três semanas, mas as aquisições não são divulgadsas porque os negócios são de pequeno porte. O principal objetivo da gigante dos smartphones com esses investimentos seria "expandir seu banco de talentos e propriedades intelectuais", informa o executivo.

Apesar do número de aquisições ser grande, é importante ressaltar que esses dados não são nada impossíveis. Em seu último relatório fiscal, a Apple apresentou aos investidores um caixa com US$ 225,4 bilhões disponíveis para serem gastos. "Se nós temos dinheiro sobrando, vemos o que podemos fazer", explica Tim Cook. "Nós compramos tudo que precisamos e que se encaixa em propósitos estratégicos".

Nós compramos tudo que precisamos e que se encaixa em propósitos estratégicos, afirma Cook

A busca de mais propriedade intelectual é uma das formas de a Apple se defender de situações como o recente acordo com a Qualcomm, em que a empresa teve que desembolsar pelo menos US$ 4,5 bilhões após uma longa disputa judicial envolvendo o pagamento de royalties.

Vale lembrar, também, que a Apple não investe apenas em startups e de vez em quando acaba fazendo grandes aquisições, mas isso tem sido raro nos últimos anos. A última grande compra da empresa que ganhou os holofotes foi a aquisição da Beats por US$ 3 bilhões, em 2014. A grife criada pelo rapper Dr. Dre é uma das principais marcas da Maçã no setor de música e recentemente lançou um novo fone de ouvido sem fio premium, o Powerbeats Pro.

Cupons de desconto TecMundo: