De acordo com a CoinDesk Korea, a Samsung está trabalhando numa rede blockchain baseada em tokens da moeda digital Ethereum. A informação teria vindo de uma fonte “confiável”, um funcionário da Sammy que está envolvido no projeto. Esta fonte teria afirmado, também, que a rede está em desenvolvimento há pelo menos um ano.

Segundo a publicação, quando esta rede blockchain tiver seu desenvolvimento finalizado, a Samsung estaria pronta para lançar sua própria criptomoeda, a Samsung Coin. No momento, não houve confirmação sobre se a rede da companhia funcionaria apenas com tokens privados ou se adotaria tokens públicos, tornando a moeda comercializável em exchanges. Mas, ao que tudo indica, não foi descartada a possibilidade de a rede ser híbrida.

Atualmente, o Galaxy S10, smartphone topo de linha da Samsung, já suporta assinaturas digitais baseadas na blockchain para guardar chaves privadas de criptomoedas, como podemos ver na imagem abaixo. Além disso, a carteira oficial da companhia é compatível com o Ether (ETH) e tokens ERC20 baseados no Ethereum.

Movimento plausível

Não é uma surpresa que uma companhia do tamanho da Samsung queira entrar de cabeça na blockchain. Várias empresas de tecnologia (Amazon, IBM, Microsoft, Facebook), e até mesmo os bancos (JPMorgan), que já passaram um bom tempo criticando as criptomoedas, já possuem (ou, como é o caso do Bradesco, querem aderir a) algum serviço baseado na blockchain.

Também seria relevante para a empresa de Seul entrar neste mercado, já que é uma das maiores empresas da Coreia do Sul, quarto país do mundo em volume de compra de bitcoins.

Apesar de não ficar claro o objetivo da empresa de entrar na blockchain (aliás, a Samsung ainda não confirmou oficialmente a informação), podemos supor que um dos serviços que poderia tirar vantagem desta integração seria o Samsung Pay, que começaria a aceitar pagamentos com a Samsung Coin — ou seria Galaxy Coin?