Uma nova exigência da Google para aplicativos lançados na Play Store pode dar uma dose de trabalho extra para alguns desenvolvedores. A partir deste ano, a Google Play passará a exigir que os apps disponibilizados por lá possuam uma versão 64 bit, para além da 32 bit.

A exigência não deve impactar o usuário diretamente, já que os apps que já estão em uso nos smartphones, mesmo sendo 32 bit, devem continuar recebendo atualizações e rodando normalmente. O único ponto que muda é que, ao lançar o app, a desenvolvedora precisará disponibilizar uma versão adicional 64 bit.

A notícia não é exatamente uma novidade para quem já possui um app para Android, já que a Google começou a notificar os criadores em dezembro de 2017. Agora, a empresa divulgou oficialmente a mudança e, até agosto de 2019, a regra deve valer para quase todos os apps, com algumas exceções. A meta final é que, em agosto de 2021, a Play Store inteira rode com 64 bits.

A exceção para o primeiro prazo, de 1º agosto deste ano, são os games que usam Unity 5.6 e versão anteriores. Estes devem se atualizar até agosto de 2021. Outra exceção inclui os APKs e pacotes de apps que visam as Wear OS e a Android TV, já que estas não suportam ainda códigos de 64 bit, e apps ou APKs que não são distribuídos para dispositivos com Android 9 Pie ou mais recentes.

Essas novas demandas, segundo a Google, foram pensadas para tornar os smartphones mais eficientes, uma vez que os CPU de 64 bit "entregam experiências mais ágeis e ricas para os usuários"

Um guia com algumas dicas e sugestões sobre como fazer essa mudança está disponível no blog de desenvolvedores da Google, aqui.

Cupons de desconto TecMundo: