Mais de 10 mil funcionários deixarão a Verizon na transição para o 5G

1 min de leitura
Imagem de: Mais de 10 mil funcionários deixarão a Verizon na transição para o 5G
Avatar do autor

A operadora estadunidense Verizon anunciou que um total de 10.400 funcionários deixarão a companhia de "forma voluntária" até junho de 2019. A empresa passará por uma reestruturação e dará foco em serviços ligados ao padrão de conexão 5G, que começa a chegar ao mercado no ano que vem.

Segundo o comunicado da Verizon, a operadora fez um acordo com os funcionários, que receberão uma indenização de até 60 semanas de salário mais bônus, dependendo da função desempenhada e tempo trabalhado dentro da empresa.

Parte dos funcionários que fizeram o acordo com a Verizon deixarão de trabalhar na companhia até o final do ano, enquanto o restante começa a sair de março até junho de 2019.

Apesar da mudança parecer brusca, a Verizon informou que a transição é algo planejado. Com a reestruturação, a operadora pretende economizar até US$ 10 bilhões nos próximos quatro anos. De acordo com o Phone Arena, a Verizon ofereceu o acordo de afastamento para 44 mil funcionários. Ao todo, a empresa possui 152.300 empregados.

"Essas mudanças são bem planejadas e antecipadas, e serão perfeitas para nossos clientes", disse Hans Vestberg, CEO da companhia. "Este é um momento no tempo, dada a nossa força financeira e operacional, para começar a servir melhor os clientes com mais agilidade, velocidade e flexibilidade."

A conexão 5G é uma das principais tendências da tecnologia para os próximos anos, e a Verizon tem feito grandes investimentos no setor. A companhia foi a primeira a lançar uma rede comercial com o novo padrão nos Estados Unidos e já anunciou uma parceria com a Samsung para lançar um smartphone com a tecnologia na primeira metade de 2019.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Mais de 10 mil funcionários deixarão a Verizon na transição para o 5G