Samsung se comprometeu a pagar uma indenização para os funcionários de suas fábricas de chips e visores que adoeceram por causa da exposição aos químicos do local. A empresa concordou em pagar 150 milhões de wons (US$ 130 mil) até 2028 a cada um dos trabalhadores, atuais e antigos, que ficaram doentes por esses motivos. A medida vale para qualquer pessoa que passou pelas fábricas da Samsung na Coreia do Sul de 1984 até hoje.

Essa disputa para conseguir um acordo começou em 2007, quando um funcionário da companhia morreu devido a uma leucemia adquirida enquanto trabalhava no local. Ela vem sendo encabeçada pelo grupo ativista Sharps, que afirma ter conhecimento de aproximadamente 200 pessoas que ficaram doentes por causa das condições de trabalho nas fábricas da Samsung, com 70 delas tendo falecido devido aos problemas de saúde. Mais pessoas podem recorrer para ter direito à indenização.

“Nossos esforços foram insuficientes para entender melhor a dor pela qual os trabalhadores afetados e suas famílias passaram”, disse Kim Ki-nam, diretor executivo da Samsung Electronics, durante o evento que marcou a assinatura do acordo. A empresa se comprometeu ainda a publicar uma carta de desculpas em seu site com os detalhes da compensação. Uma empresa coreana independente será responsável por fiscalizar o processo.

Durante o evento, a filha de um dos funcionários que morreu em decorrência do trabalho na Samsung se pronunciou, dizendo que “nenhuma desculpa seria suficiente quando levamos em consideração as mentiras e humilhações que sofremos durante os últimos 11 anos, a dor de sofrer com doenças ocupacionais, a dor de perder pessoas que amamos”.