Fabricante de smartphones com foco em selfies e desenvolvedora de um famoso app de fotos homônimo, a chinesa Meitu anunciou hoje (19) uma parceria estratégica com a também chinesa Xiaomi. O acordo entre as duas envolve a licenciamento da marca e de hardware e tecnologia para novos smartphones, que passarão a ser comandados pela Xiaomi.

Na prática, isso significa que a empresa assume o comando da antiga concorrente e passará a produzir os seus smartphones de agora em diante. A Xiaomi comandará todas as demais operações comerciais e de pesquisa, desenvolvimento e produção da Meitu, que continuará responsável apenas por desenvolver algoritmos e tecnologias relacionados a imagens.

A negociação não envolve dinheiro em um primeiro momento e a Xiaomi ficará com 10% de cada aparelho vendido pela Meitu durante os próximos cinco anos. Depois disso, a primeira pagará US$ 10 milhões por ano à segunda pelo licenciamento de suas tecnologias.

MeituMeitu será comandada pela Xiaomi. (Fonte: Meitu)

Salvação

A Meitu vem tendo dificuldades financeiras e espera que, ao final deste ano, o prejuízo líquido saltar de US$ 28 milhões em 2017 para algo entre US$ 137 milhões e US$ 173 milhões. As dificuldades são explicadas pelo lançamento de apenas um smartphone Meitu em 2018 contra cinco lançados no ano passado.

Com o negócio, a Xiaomi ganhará não apenas por usufruir desses avanços em seus próprios aparelhos, mas por contar com uma subsidiária que deve facilitar a experimentação de novas tecnologias e a expansão de seus negócios em um novo mercado. Já a Meitu terá condições de focar no desenvolvimento de novos recursos de imagem, algo que ela já faz muito bem atualmente.