Waymo anunciou que atingiu 10 milhões de milhas dirigidas em carros autônomos em vias públicas em 25 cidades dos estados da Califórnia, Arizona e Michigan.

Em agosto, a empresa tinha anunciado que alcançou a marca de 8 milhões de milhas. Apenas alguns meses antes, em junho, a marca era de 7 milhões de milhas. Lembrando que em menos de meio ano, a empresa já testou mais 3 milhões de milhas em vias públicas.

Segundo o CEO da Waymo, John Krafcik, se você adicionar passeios simulados em um computador, não em estradas reais, a Waymo já percorreu 7 bilhões de quilômetros. Esses 10 milhões de milhas rodados ajudam a desafiar o software de auto-condução e colocá-lo em situações novas e passadas.

Em seu post mais recente, a Waymo abordou tardiamente as questões levantadas em um relatório revelado pela The Information no final de agosto. O serviço de táxi autônomo da Waymo deve começar com carros sem motorista até o final do ano no Arizona e já está em testes com 400 carros em Phoenix. O relatório também destacou alguns obstáculos nas estradas, como os problemas que os carros da Waymo têm com a imersão e as curvas para à esquerda.

"Nossos carros são programados para serem cautelosos e dentro das regras, porque é a coisa mais segura a se fazer", disse Krafcik. O post também parecia defender a ênfase na sua segurança: "Ficamos fora dos pontos cegos de outros motoristas, demos amplo espaço aos pedestres e paramos nos cruzamentos de quatro vias".

Ele também explicou que há um equilíbrio entre dirigir naturalmente e assertivamente, especialmente durante a fusão.

Para que os carros autônomos possam melhorar e chegar ao ponto de realmente conduzir as pessoas de forma autônoma, eles precisam percorrer muitos trechos de estrada com muita repetição. E, com o fim do ano se aproximando, a Waymo espera que suas milhas estejam ensinando seus carros o máximo possível.