Amazon está sendo investigada pela comissão da União Europeia por uso indevido de dados de seus vendedores terceirizados online  marketplace. A informação foi dada pela comissária de competição da UE, Margrethe Vestager, em coletiva de imprensa em Bruxelas.

De acordo com ela, há suspeitas de que companhia esteja usando essas informações para possível violação antitruste, ou seja, para monopólio. O caso será avaliado por meio de questionários, enviados aos comerciantes parceiros da companhia de Jeff Bezos, que deverão devolvê-los respondidos à UE em outubro ou novembro. Com base nessas informações, a comissão decidirá se a companhia será indiciada ou não.

Vestager também declarou que a investigação ainda é informal e não partiu de denúncia ou reclamação externa, mas sim de apurações feitas pela própria comissão da UE sobre o mercado de e-commerce em 2017. A preocupação maior é se a empresa estaria usando os dados dos seus vendedores terceirizados em benefício próprio.

Marketplace representou aumento nas receitas da Amazon

A prática de marketplace é parte considerável dos lucros da Amazon, correspondendo, só no segundo trimestre de 2018, a US$ 9,7 bilhões em receita para a empresa. Isso se refere a um aumento de 40% em relação ao ano passado. Além disso, até o fim de 2018, a companhia deve ser responsável por metade de todas as vendas online nos Estados Unidos.

Devido ao seu domínio, ela tem chamado cada vez mais a atenção de autoridades antitrustes norte-americanas e europeias. Até mesmo Donald Trump, em entrevista ao Bloomberg — site especializado em Economia — sugeriu que a Amazon e outras empresas do Vale do Silício estariam envolvidas em práticas nesse sentido.

Vale destacar que os países da União Europeia e os Estados Unidos têm visões diferentes sobre o termo antitruste. Nos primeiros, as empresas são avaliadas por ações que possam levá-las à posição dominante no mercado. Já no segundo, seus produtos são oferecidos ao consumidor final com preços muito acima do normal.

Outras gigantes da tecnologia já foram alvos da União Europeia

Vestager já é bem conhecida por conduzir investigações que resultaram em multas para gigantes da tecnologia. Em julho, a Google teve que desembolsar o equivalente a US$ 5 bilhões por atividades anticompetitivas com o sistema Android. Em uma ação judicial iniciada em 2016, a Apple também foi obrigada a pagar US$ 14,5 bilhões de impostos atrasados para o governo da Irlanda. Apesar do risco, a Amazon ainda não se pronunciou sobre o caso.