Se fosse possível viajar para qualquer destino e se hospedar em algum lugar bem diferente do comum, onde você escolheria? Um hotel perto de um ponto turístico, talvez? E que tal dormir em uma das sete maravilhas do mundo moderno?

Pois é, foi essa a ideia que a Airbnb teve. A empresa pensou em oferecer uma experiência diferente para os clientes, lançando um concurso que permitiria que quatro vencedores e seus respectivos convidados dormissem em uma das torres da Grande Muralha da China e tivessem acesso a algumas atividades no local.

Para participar, bastava responder por que é tão importante – principalmente agora – quebrar a barreira entre culturas e, ainda, como o participante gostaria de construir novas conexões. Aqueles que enviassem as melhores respostas seriam contemplados com um jantar especial, uma aula de caligrafia chinesa e um passeio pela Muralha.

Segundo a empresa, todas as permissões necessárias foram solicitadas às autoridades locais e aceitas. Porém, surgiu um problema: os chineses apontaram que não estavam sabendo de nada desse evento – e mais, oficiais chineses alegam que a empresa não solicitou a permissão necessária em momento algum. 

Além disso, surgiram preocupações referentes a possíveis danos à Muralha e certa tensão com o evento, já que houve quem não achasse muito certo uma empresa utilizar o local com objetivos publicitários.

Por fim, como a repercussão não foi muito boa, a proposta acabou sendo cancelada. De acordo com o comunicado emitido, a Airbnb estava animada para promover tanto a Grande Muralha quanto a cultura chinesa e que o acordo para o evento foi feito; contudo, a empresa afirma que respeita profundamente o feedback recebido e que buscaria outras formas de criar novas experiências turísticas para a China.