O engenheiro chinês Xiaolang Zhang foi detido nos Estados Unidos acusado de roubar dados de um projeto de carro autônomo da Apple. Ele é ex-funcionário da Maçã e foi preso quando tentava embarcar para a China com os documentos que ele admitiu ter baixado para o notebook de sua esposa a fim de acessá-los mesmo após deixar a empresa.

Além de 25 páginas descrevendo as placas de circuito de um possível carro autônomo da Apple, o engenheiro foi acusado de roubar placas de circuito em si e um servidor do laboratório da empresa de Cupertino dedicado a desenvolver o veículo.

Segundo a Reuters, Zhang admitiu ter roubado hardware da empresa para usar isso como moeda de troca e conseguir uma promoção dentro da Apple. O engenheiro esteve envolvido no projeto que desenvolveu as placas de circuito para um sensor de análise de dados, portanto tinha acesso a informações bastante sensíveis sobre os planos da companhia.

Táticas equivocadas

Zhang teria deixado a Apple por conta após voltar de sua licença paternidade. A justificativa do engenheiro era o seu retorno em definitivo para a China a fim de trabalhar na startup Xiaopeng Motors, que desenvolve veículos elétricos. O supervisor de Zhang identificou uma atividade anormal em sua rede e foi a partir daí que a Apple desconfiou do seu ex-funcionário e alertou as autoridades.

“A Apple leva muito a sério a confidencialidade e a proteção de nossa propriedade intelectual”, informou um porta-voz da empresa em nota. “Estamos trabalhando junto das autoridades nessa questão e faremos tudo o possível para ter certeza de que este indivíduo e quaisquer outros envolvidos sejam responsabilizados por suas ações.”

O ex-engenheiro contou às autoridades que cerca de 2,7 mil funcionários da Apple têm acesso aos mesmos servidores com segredos sobre veículos autônomos que ele. Em um mundo cada vez mais povoado por iniciativas de carros autoguiados, a Apple deve fortalecer ainda mais as suas proteções contra roubo de segredos comerciais.