Um grupo de funcionários da Amazon enviou uma carta ao CEO da empresa, Jeff Bezos, nesta semana exigindo que a companhia pare de vender seu software de reconhecimento facial para autoridades norte-americanas. A tecnologia se chama Rekognition e estaria sendo utilizada pelo controle de imigrantes e aduana dos EUA, bem como pelo departamento de segurança nacional para agir contra refugiados que buscam asilo no país.

Frente a esta polícia imoral dos Estados Unidos, estamos profundamente preocupados com a possibilidade de a Amazon estar envolvida

“Frente a esta polícia imoral dos Estados Unidos, e do nosso tratamento cada vez mais desumano de refugiados e imigrantes além dessa política específica, estamos profundamente preocupados com a possibilidade de a Amazon estar envolvida, fornecendo infraestrutura e serviços que apoiam as práticas das autoridades contra esses grupos”, lê-se em um trecho da carta.

Nas últimas semanas, notícias sobre crianças sendo mantidas presas em massa em aeroportos e postos de controle de imigrantes e refugiados nos EUA rodaram o mundo. Milhares delas estavam separadas dos seus pais, que vinham sendo mantidos presos em outras áreas. O mesmo aconteceu inclusive com crianças brasileiras, tendo sido necessária a interferência do Itamaraty para resolver a questão. De acordo com a declaração dos direitos humanos, refugiados têm o direito de pedir asilo em qualquer lugar, e crianças nunca devem ser mantidas separadas de seus pais em circunstâncias dessa natureza.

Amazon acusada

A carta dos funcionários da Amazon ao CEO Jeff Bezos foi um reflexo de um abaixo assinado confeccionado por uma organização norte-americana que defende direitos civis nos EUA. Mais de 150 mil pessoas e organizações competentes assinaram o documento e denunciaram o envolvimento da Amazon no tratamento desumano de imigrantes e refugiados no país.

Essa carta segue mais ou menos o mesmo modelo do que foi feito por funcionários da Google quando descobriram que a empresa estava criando uma IA para ajudar em projetos militares. Os colaboradores da gigante das buscas obtiveram sucesso, e a emprsa parou de colaborar com as forças armadas.

Nós aprendemos com a história, e entendemos como sistemas da IBM foram utilizados na década de 1940 para ajudar Hitler

“Como colaboradores da Amazon eticamente preocupados, nós exigimos escolher no que trabalhamos e também ter opinião em como nosso trabalho é usado. Nós aprendemos com a história, e entendemos como sistemas da IBM foram utilizados na década de 1940 para ajudar Hitler. A IBM não assumiu responsabilidade na época, e até que eles entenderam o que haviam feito, já era tarde demais. Não vamos deixar isso acontecer novamente. A hora de agir é agora”, diz outro trecho da carta.

Há um livro escrito por Edwin Black chamado “IBM e o Holocausto”, que detalha exatamente como a tecnologia da IBM foi utilizada pelo regime nazista para justificar a segregação e genocídio dos judeus na Alemanha dos anos 1940. Você pode entender melhor a situação aqui.

A Amazon se recusou a comentar a carta dos funcionários após ser contatada pela imprensa norte-americana.