John Sculley foi CEO da Apple entre 1983 e 1993, uma década em que a Maçã enfrentou uma série de altos e baixos, mas que, no geral, foi um período positivo. A empresa fazia US$ 569 milhões em receita quando Sculley assumiu o cargo de chefe executivo, mas, quando ele saiu, a Maçã já estava no patamar dos US$ 8,3 bilhões. Sculley foi convencido a trabalhar na Apple por Steve Jobs e, em uma entrevista com a CNBC trazida à tona pelo MacMagazine, contou algumas coisas que aprendeu com o colega.

Sculley começou contando que Jobs o cooptou para o time da Apple quando ele era CEO da Pepsi. A primeira oferta foi recusada pelo executivo por telefone, mas, minutos depois, Jobs apareceu na casa de Sculley para dizer: “Você quer vender água doce para o resto da sua vida ou quer vir comigo mudar o mundo?”.

Steve tinha a habilidade de transformar em palavras uma mensagem exata que iria ressoar na cabeça das pessoas que ele queria recrutar

À CNBC, Sculley contou que um dos talentos de Jobs era justamente convencer pessoas a trabalharem com ele. “Steve tinha a habilidade de transformar em palavras uma mensagem exata que iria ressoar na cabeça das pessoas que ele queria recrutar”, disse o executivo.

Curiosamente, sob a liderança de Sculley, a Apple acabou demitindo Steve Jobs em 1985 — que voltou em 1997. Ainda assim, o executivo contou que aprendeu com Jobs, ou melhor, absorveu uma de suas características: “uma curiosidade insaciável combinada com o desejo de mudar o mundo”.

Ele estava disposto a deixar sua vida pessoal de lado e ser incrivelmente exigente com as pessoas que trabalhavam com ele

“Ele estava disposto a deixar sua vida pessoal de lado e ser incrivelmente exigente com as pessoas que trabalhavam com ele”, contou Sculley. O ex-CEO da Apple também compartilhou uma pequena história de como Jobs teria ficado irritado com o design da primeira placa-mãe do Macintosh. Segundo ele, Jobs não teria gostado da forma como determinado fio ficava exposto naquele componente.

Um dos engenheiros então argumentou que, como a placa-mãe ficava bem escondida dentro do gabinete do computador, o qual era difícil de abrir, ninguém de fato repararia naquilo. Jobs então teria respondido “Eu vou! Volte e refaça o layout dessa placa-mãe”. Mas apesar de ter sido difícil trabalhar com o “grande homem da Apple”, Sculley contou que leva consigo essa vontade de mudar o mundo, que viu em Jobs, para seus projetos atuais.

Vamos capacitar os indivíduos com ferramentas para a mente. Isso será feito em algo que chamamos de computador pessoal

Mas a história mais interessante que Sculley contou a CNBC tem a ver com um encontro entre ele, Jobs e Bill Gates, fundador da Microsoft. “Steve Jobs e Bill Gates conversavam sobre a sua ‘causa nobre’. Eu nunca tinha ouvido as palavras ‘causa nobre’ no mundo dos negócios em toda a minha vida. E enquanto eu os escutava, eles diziam: ‘Sim, vamos capacitar os indivíduos com ferramentas para a mente. Isso será feito em algo que chamamos de computador pessoal e terá mais a ver com software do que com hardware, e vamos mudar o mundo, uma pessoa de cada vez”.

Cupons de desconto TecMundo: