Microsoft anda em alta ultimamente, graças à estratégia de Satya Nadella, de diversificar a oferta de bons produtos em várias divisões e tirar um pouco o foco somente do Windows. Os games, com o Xbox One, e os serviços em nuvem Azure, por exemplo, vêm arrecadando receita que não era esperada há três ou quatro temporadas. Isso se reflete em bons salários para, principalmente, engenheiros e programadores.

E quais seriam os 15 cargos mais bem remunerados pela Gigante de Redmond? Bem, já mostramos para vocês quanto ganham os profissionais da Apple e da Google e aqui a estimativa é montada da mesma forma: a partir de informações de candidatos, das ofertas de emprego e dos próprios profissionais, em plataformas de trabalho como o Glassdoor e do LinkedIn.

Desta vez, a projeção leva em consideração compensações como ações, bônus e outros extras — isso mostra que na Microsoft, às vezes, um cargo prestigiado pode até receber menos que outro, mas, juntando tudo, os ganhos anuais podem ser maiores. E, como de praxe, ficam de fora da lista os executivos de alto nível, com exceção do CEO Nadella, que aparece por aqui.

15. Diretor de Recursos Humanos

Salário anual: US$ 177.959

Com extras: US$ 241.361

Encontrar as pessoas certas para fazer parte da companhia é um trabalho árduo e nessa função é preciso avaliar as equipes que estão selecionando e as escolhas realizadas.

14. Arquitetos de software

Salário anual: US$ 179.535

Com extras: US$ 256.933

São os profissionais responsáveis por criar as ferramentas que vão de encontro com as necessidades dos usuários.

13. Diretor de Criação

Salário anual: US$ 180.789

Com extras: US$ 190.869

É quem ajuda a companhia a definir a aparência do software e como ele flui visualmente.

12. Gerente Principal de Desenvolvimento

Salário anual: US$ 180.812

Com extras: US$ 292.500

O cargo exige liderança para gerenciamento de equipes de engenharia, para que todos executem adequadamente seus projetos.

11. Diretor Principal de Gerenciamento de Programas

Salário anual: US$ 185.083

Com extras: US$ 303.959

Função que ajudar a coordenar as equipes de engenheiros a trabalhar com os produtos e recursos.

10. Pesquisador Sênior

Salário anual: US$ 186.925

Com extras: US$ 292.455

São os cientistas que estão experimentando tecnologias e descobrindo inovações, a exemplo dos profissionais envolvidos com a HoloLens.

9. Diretor Sênior de Marketing

Salário anual: US$ 195.882

Com extras: US$ 339.327

Profissional que atua bem próximo ao CMO Chris Capossela e divulga os ideais da companhia.

8. Gerente de Unidade de Produto

Salário anual: US$ 195.946

Com extras: US$ 310.865

Responsável por liderar um time de produtos específicos, seja da Xbox Live ou do Visual Studio, por exemplo.

7. Advogado Sênior

Salário anual: US$ 196.044

Com extras: US$ 286.470

Como todo mundo sabe, a Microsoft vez ou outra está envolvida em problemas com patentes, privacidade ou crimes cibernéticos, então é preciso ter bons advogados para defendê-la.

6. Diretor de Engenharia

Salário anual: US$ 196.677

Com extras: US$ 346.247

Profissional que mantém o foco dos engenheiros sobre os principais produtos da companhia.

5. Diretor Sênior de Vendas

Salário anual: US$ 201.000

Com extras: US$ 310.000

É quem supervisiona e monitora todas as contas do setor de vendas.

4. Diretor de Desenvolvimento de Negócios Sênior

Salário anual: US$ 203.452

Com extras: US$ 339.014

Responsável por liderar parcerias, investimentos, divulgação e outras formas de trabalhar com empresas externas.

3. Diretor de Desenvolvimento de Gerenciamento Sênior

Salário anual: US$ 205.297

Com extras: US$ 426.689

É o cargo que ajudar a supervisionar toda a criação de um produto, como o laptop Surface Book 2.

2. Gerente Geral

Salário anual: US$ 217.928

Com extras: US$ 464.005

Vários profissionais assumem esse cargo na Microsoft, para ajudar a manter as coisas em ordem nos mais diversos setores.

1. CEO Satya Nadella

Salário anual com extras: mais de US$ 20 milhões

É ele quem dirige toda a empresa e dá as ordens na Microsoft. Mas, assim como ele ganha bastante quando a receita aumenta durante ao final do ano fiscal, também perde muito quando a arrecadação diminui.