Após sofrermos uma mudança de realidade com a popularização dos smartphones, muitos poderiam achar que as coisas ficariam na mesma por mais algum tempo. Fora da discussão sobre vantagens e desvantagens, parece que o ritmo de inovações não diminuiu.

Os pagamentos sem dinheiro em espécie são cada vez mais comuns. Atualmente, qualquer comércio, independente de tamanho, possui uma máquina de cartões, e o próximo passo é a utilização do próprio smartphone para completar a transação. Google e Apple Pay estão com seus serviços cada vez mais avançados, e é provável que essa forma de pagamento se popularize tanto quanto os tradicionais cartões.

Para quem possui um comércio legal, nenhum problema, mas e para os artistas de rua? Como eles conseguirão algumas moedas se a circulação delas for pequena demais? Em Londres, isso já parece ser uma realidade. A fim de tentar solucionar esse problema, o prefeito da cidade, Sadiq Khan, junto com a empresa sueca de pagamentos digitais iZettle e uma associação de artistas de rua local, lançaram um sistema de pagamento digital para a classe.

Inicialmente, o sistema foi cedido a alguns artistas, entre eles Charlotte Campbell. Em entrevista para a BBC, ela disse que a nova tecnologia teve impactos significativos nas contribuições. Os leitores precisam estar conectados a um smartphone, e a quantia a ser doada deve ser definida previamente pelos artistas, sendo necessário somente um smartphone, ou até smartwatch, com função de pagamento por aproximação.

Apesar de alguns deles já terem desenvolvido soluções semelhantes, esse novo aparelho é o primeiro fornecido pela prefeitura de uma cidade. Nada mais do que o esperado, pois Londres é uma das cidades do mundo onde mais existem pagamentos registrados por esse método.