Desvendar os mistérios do Sol, chegando a uma distância sete vezes menor da que temos como recorde, é o plano da NASA para a missão Parker Solar Probe, com nome em homenagem ao astrofísico Eugene Parker. O lançamento para a estrela que está a aproximadamente 149,6 milhões de quilômetros de distância da Terra acontecerá em 31 de julho deste ano, mas a data marca apenas o início de uma longa viagem.

A ideia é que a Parker Solar voe através da atmosfera do Sol, na região chamada de Coroa Solar (ou Corona), até chegar a 3,8 milhões de milhas (perto de 6,1 milhões de quilômetros) da superfície solar, após uma aproximação gradual rumo à estrela, ao longo de quase 7 anos. Para resistir a essa viagem com elevadas temperaturas, a nave é protegida por um escudo de compostos de carbono de 11,4 centímetros de espessura.

1

A sonda está preparada para fazer medições e imagens para expandir nosso conhecimento em torno do vento solar — um fluxo de gases ionizados que passa pela Terra em velocidade média de 500 km/s. Também se pretende que ela nos auxilie a prever mudanças no ambiente espacial da Terra, que influenciam a vida e a tecnologia no planeta. O lançamento ocorrerá no estado da Flórida, nos Estados Unidos, no NASA Kennedy Space Center.

Segundo a NASA, o Sol é a única estrela que podemos estudar “de perto” e, ao fazê-lo, teremos um entendimento não somente dele, mas também de todas as estrelas, em geral. Além disso, pelo fato de o Sol ser fonte de luz e calor para a Terra, ao fazer essa exploração teremos mais condições de compreender o desenvolvimento da vida no nosso planeta.