O TecMundo esteve presente entre os dias 7 e 9 de março na cidade de Goiânia, capital de Goiás, e em Cachoeira Dourada, divisa do estado com Minas Gerais, para acompanhar o evento Focus On da Enel. A empresa italiana de geração, distribuição e fornecimento de energia elétrica opera em 18 estados da federação, e está comemorando agora a introdução de sua marca global na distribuição de eletricidade para o estado de Goiás um ano após a aquisição da CELG Distribuição.

O evento em questão fez parte da série de apresentações que acontecem no mundo todo chamada Enel Focus On, onde painéis reúnem pessoas para discussões acerca de diversos temas. No caso específico, em Goiânia, jornalistas e influenciadores discutiram digitalização e smart grids (ou redes elétricas inteligentes) conduzidos pela fala de Zeynep Tufeki, professora da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill e especialista em tecnologia, algoritimos, Big Data, inteligência artificial e smart cities (cidades inteligentes). Ela também é colaboradora das publicações The New York Times e The Atlantic.

aZeynep Tufeki, especialista em tecnologia, algoritimos, Big Data, inteligência artificial e smart cities

Roda de conversas

Apresentando a discussão – que foi transmitida ao vivo pelas redes sociais da Enel –, Ryan O’ Keeffe, diretor de comunicações da empresa, levantou pontos para a discussão dos influenciadores. Além deles, participaram da mesa redonda grandes nomes da Enel, como Carlo Zorzoli, country manager da Enel no Brasil; Livio Gallo, chefe de infraestrutura e redes globais; e Isabella Panizza, chefe de comunicações digitais globais.

Estamos conscientes dos desafios da modernização do sistema elétrico em um estado tão grande quanto Goiás

“Ao trazer nossa marca global para a Goiás estamos confirmando nosso compromisso de longo prazo com o estado e nossos clientes. O processo de rebranding é um sinal poderoso das mudanças que estamos implementando na área de concessão para transformar a empresa e permitir que suas operações se beneficiem plenamente com os conhecimentos técnicos e as melhores práticas dentro da linha de negócios de infraestrutura e redes globais da Enel Group, que opera a maior rede de distribuição de propriedade privada do mundo”, disse Carlo Zorzoli.

O country manager da Enel no Brasil concluiu: “Estamos conscientes dos desafios da modernização do sistema elétrico em um estado tão grande quanto Goiás, mas alavancamos nossa experiência na Enel Distribuição Rio e Enel Distribuição Ceará. Nosso foco em Goiás é o planejamento e a execução das melhorias necessárias na qualidade do serviço”.

aRoda de discussões da Enel Focus On

Foco nas smart grids

É aí que entra os conceitos de smart grids discutidos no painel. As redes elétricas inteligentes utilizam uma série de fatores para tornar o fornecimento mais rápido, mais barato – tanto para quem distribui quanto para quem consome – e especialmente mais limpo, usando métodos que causem o menor impacto ambiental possível.

A rede da companhia serve e 2,9 milhões de clientes no Brasil e vai receber um investimento de cerca de US$ 2 bilhões no período entre 2018 e 2020

Com o rebranding, a empresa de distribuição da Enel em Goiás estará alinhada com a identidade visual e de marca do grupo, baseada na estratégia Open Power da Enel para disponibilizar eletricidade para mais pessoas, novas tecnologias, novas utilizações de energia e mais parcerias. A rede da companhia serve e 2,9 milhões de clientes no Brasil e vai receber um investimento de cerca de US$ 2 bilhões, ou R$ 6,6 bilhões, no período entre 2018 e 2020. Apenas em 2017, a Enel investiu na mesma área US$ 830 milhões, ou R$ 2,7 bilhões.

a

Economia de energia e sustentabilidade

Um dos pilares dos novos investimentos em Goiás é o Projeto Telecontrole, que consiste na automação da rede elétrica de média tensão através da instalação de dispositivos controlados remotamente e de um sistema de gerenciamento remoto. Somente em 2018, um total de mil dispositivos serão instalados em Goiás com o objetivo de ter mais de 5 mil aparelhos instalados até 2020.

Através do Telecontrole, o distribuidor pode identificar e isolar rapidamente as falhas que ocorrem na rede, reduzindo assim o número de clientes afetados

O Grupo Enel já usa essa tecnologia em outros países, como a Itália e a Romênia, e também no Brasil, principalmente no Rio de Janeiro, com melhorias significativas nos indicadores de qualidade do serviço. A Enel Distribuição Rio, por exemplo, melhorou seu SAIDI (System Average Interruption Duration Index, ou Índice de Duração da Interrupção Média do Sistema) por nove horas nos últimos dois anos. Através do Telecontrole, o distribuidor pode identificar e isolar rapidamente as falhas que ocorrem na rede, reduzindo assim o número de clientes afetados e permitindo uma restauração mais rápida do serviço remotamente com benefícios claros para os clientes.

Visitamos a Hidrelétrica de Cachoeira Dourada

Aproveitando a visita à Goiânia para o ENEL Focus On, a empresa levou os jornalistas para visitarem uma das diversas hidrelétricas que a empresa possui no país. Situada no município de Cachoeira Dourada, a três horas da capital goiana, a barragem fica no rio Paranaíba, divisa do estado com Minas Gerais e poucos quilômetros à frente da Usina Hidrelétrica de Itumbiara.

Com quase três quilômetros de extensão, a usina hidrelétrica é capaz de produzir quase 700 MW com seus 10 geradores divididos em quatro etapas diferentes. A primeira dessas fases, a mais antiga, foi construída em 1958 e produz apenas 17 MW – o que era bastante para a época. Ela foi feita com o objetivo de ajudar no fornecimento de energia elétrica para a construção de Brasília, fundada em 1960.

A Enel é a maior produtora de energia elétrica a partir de usina eólicas no Brasil, gerando 842 MW em seus parques. Das usinas solares, são criados 819 MW de energia elétrica e das hidrelétricas, 1.270 MW.