Fitbit parecia estar ficando um pouco para trás na competição de vestíveis (wearables), mas parece ter uma estratégia para voltar a ganhar relevância, nesse mercado. O plano da empresa inclui um novo modelo de negócios e um investimento na direção de smartwhatches, com uma nova coleção prevista para o final de 2018.

No início do ano, a empresa anunciou que vai se concentrar em suas pulseiras fitness, aqueles aparelhos vestíveis que monitoram as atividades físicas, contando passos e calorias. A ideia, no entanto, é que, conforme o ano se aproxime do fim, a empresa mude os rumos na direção dos smartwatches novamente, respeitando o interesse dos consumidores.

1

Esse plano revela que a Fitbit está trabalhando com a previsão de uma queda no primeiro quarto do ano, com consumidores indo na direção dos smartwatches, principalmente considerando um recente crescimento considerável observado no interesse pelo Apple Watch. Ainda assim, o CEO James Park acredita que voltarão a caminhar nessa direção, em um momento propício e estratégico.

A empresa também tem algumas mudanças previstas para o modelo de negócios e pretende se afastar dos lançamentos sazonais para se concentrar em serviços de assinatura que tendem a garantir um fluxo de caixa mais consolidado. Assim, a empresa vai dedicar sua energia a fim de atrair mais assinantes premium aos serviços como Fitbit Health Solutions e Fitbit Coach.

2

Considerando o momento financeiro da empresa não tão favorável, essa estratégia de serviços em longo prazo e posterior redirecionamento para os smartwatches aparenta ser a opção mais sensata para a sobrevivência das operações da Fitbit, criada em 2007 com foco na saúde e no estilo de vida fitness, aliado à tecnologia.