Receber um aporte de um fundo de investimento é uma decisão estratégica para muitos CEOs do Vale do Silício. Mas, se essa grana vier do VIsion Fund do Softbank, talvez a coisa seja ainda mais perigosa.

Em uma reunião com clientes e investidores da Goldman Sachs, Dara Khosrowshahi fez um exercício simples para explicar a razão para a Uber ter aceitado o investimento da multinacional japonesa. Basicamente, ele pensou, "e se eles financiarem meu concorrente"?

Guerra ou paz

Durante as negociações, o Softbank deixou bem claro que poderia investir no concorrente Lyft. Afinal, quem tem a grana, dá as cartas, certo? Esse é um tipo de operação que já aconteceu no passado, o fundo negocia com vários concorrentes e descola o melhor acordo possível.

Em vez de ter o seu canhão de capital de frente para mim, eu preferiria ter esse canhão de capital atrás de mim, está bem?

Esperto que é, o CEO da Uber aceitou uma oferta de investimento e expressou o sentimento de muitos executivos do Vale do Silício quanto aos negócios com o fundo de investimento.

Dana afirmou que tem uma visão ambiciosa para a empresa - mais do que uma plataforma de carros de aluguel. O objetivo da Uber é levar qualquer pessoa de um ponto A para o B, da melhor forma possível.

Amigos ou rivais: CEO da Uber explica por que aceitou a grana do SoftBank via The Brief