O processo de mineração de criptomoedas é bastante custoso para quem se aventura nessa prática. Não é só deixar o computador ligado e esperar as moedinhas virtuais de multiplicarem – os gastos com equipamento são altos (visto que é necessário um poder altíssimo de processamento) e a energia elétrica para tudo isso funcionar também é cara. O jeito é tentar minimizar o quanto for possível essa perda para que o lucro seja ainda maior.

Muita gente já tentou diversas maneiras de se aproveitar energia desperdiçada para minerar bitcoins e outras moedas virtuais, mas o que foi criado por um usuário do Reddit impressiona muita gente: um sistema de resfriamento dos processadores ASIC por imersão em óleo em um tanque enorme.

Entrando numa fria

Tudo isso custou em torno de US$ 120 mil, ou R$ 390 mil e usa cerca de 50 kW de força – o suficiente para alimentar em média 25 residências

O problema de superaquecimento de chips ASIC é uma das coisas que diminuem o lucro de mineradores, visto que o calor dissipado é uma perda de energia e ainda pode danificar as placas quando muitas delas funcionam juntas, sem contar que pioram o desempenho dos processadores. Para que tudo desse certo, o usuário do Reddit fez algumas alterações nas placas para que o óleo refrigerante consiga circular pelo tanque.

Ele inverteu o giro dos coolers dos processadores de maneira que puxem o óleo do fundo do tanque para a superfície, resfriando os 36 chips e empurrando o líquido quente para onde vai dissipar essa alta temperatura. Usando uma placa de troca de calor que recebe mais óleo frio por meio de uma mangueira, o sistema consegue manter os chips ASIC funcionando em uma temperatura adequada.

Tudo isso custou em torno de US$ 120 mil, ou R$ 390 mil e usa cerca de 50 kW de força – o suficiente para alimentar em média 25 residências. O sistema gera para seu dono em média 1,5 bitcoin por mês, algo próximo de US$ 10,3 mil ou R$ 33,5 mil. Tudo está funcionando desde o meio do ano passado e, segundo o usuário do Reddit, nunca apresentou nenhum tipo de problema.