Parece que a temporada de IPOs chegou para ficar! A fabricante de eletrônicos Xiaomi Corp. (que deu um pulo aqui no Brasil há um tempinho) já escolheu os parças para o seu IPO. A empresa teria selecionado os bancos Morgan Stanley e Goldman Sachs Group para capitanear sua abertura de capital, de acordo com a Bloomberg.

Credit Suisse Group AG e Deutsche Bank AG também estariam envolvidos no processo e, pasmem, a gigante chinesa espera atingir uma avaliação de até US$ 100 bilhões. É tanto dinheiro que eu nem preciso dizer que isso dá uns R$ 320 bilhões.

Durante a última rodada de investimentos, em 2014, a Xiaomi foi avaliada em US$ 45 bilhões (quase R$ 145 bilhões). Caso a Xiaomi consiga os US$ 100 bilhões, esse seria o maior IPO desde a abertura de capital do Alibaba, que levantou US$ 25 bilhões (cerca de R$ 80 bilhões).

A Xiaomi é uma das líderes no mercado de smartphones e tem uma posição forte em mercados como Índia e Rússia, além da China, claro.

Muito além dos celulares

No entanto, a companhia chinesa investe em dezenas de startups e tem um portfólio que vai de weareables até panelas de arroz. Segundo analistas, esse ecossistema em expansão pode dar uma força para que a Xiaomi alcance o valor pretendido. A empresa ainda estaria decidindo sobre a participação de bancos chineses, de acordo com a fonte ouvida pela agência de notícias.

Não há informações sobre quando e onde esse “negócio da China” vai acontecer, mas a gente tá bem ligado no assunto e te avisa assim que tivermos novidades!

Curtiu o texto? Saiba que isso é só um gostinho do que é publicado diariamente na newsletter do The BRIEF, que traz as principais notícias do mercado de tecnologia pra você, todas as manhãs. É serious, é business, mas com um jeitão bem descontraído (#mozão). Para assinar, é só clicar ali -> aqui.

Xiaomi quer virar uma empresa de US$ 100 bilhões via The Brief

Cupons de desconto TecMundo: