Os últimos dias não têm sido nada fáceis para a Apple desde que a empresa admitiu desacelerar iPhones antigos, sem avisar seus donos, para evitar problemas de bateria nos aparelhos. De lá para cá, a companhia sofreu processos em massa de clientes insatisfeitos, chegando atualmente a nove indenizações, segundo notado pelo Phone Arena.

Até aí, nada muito além do esperado. O que pegou muita gente de surpresa foi descobrir que um desses processos, feito por uma mulher chamada Violetta Mailyan, pede nada menos do que US$ 999.999.999.000,00 – praticamente US$ 1 trilhão ou R$ 3,3 trilhões – da Apple pelos problemas causados pela empresa. E o mais impressionante? Embora ela dificilmente tenha chance de conseguir um valor tão absurdo, ela provavelmente vai sair ganhando no caso.

Basta conferir a declaração feita no processo para ver que ele tem bastante sentido. Entre as queixas, a equipe de advogados de Mailyan afirma que a Apple “negou o uso, utilidade e valor do modelo de iPhone mais velho por culpa da desaceleração da performance”. Além disso, é claro, há o fato de ela ter mantido essa alteração às escuras ao ponto de esconder as informações dessa mudança para que os donos dos aparelhos não pudessem acha-la, o que incentivou indiretamente a compra de novos dispositivos, no lugar de ficar com a opção mais simples de trocar a bateria do smartphone.

A grande pergunta que fica é: será que isso vai ser suficiente para que a corte norte-americana realmente acate tamanha indenização? Vamos ficar atentos para descobrir como toda essa história vai se desenrolar.

Cupons de desconto TecMundo: