Apple não vai ter vida fácil nesse final de ano. Depois que um estudo descobriu que iPhones antigos têm o desempenho cortado de propósito e a própria empresa admitir que a prática existe, a Maçã agora vai encarar os tribunais para responder por isso.

Segundo o site 9 to 5 Mac, ao menos dois processos já foram registrados nos Estados Unidos de cosumidores furiosos com as práticas da Apple — e dispostos a aproveitar o deslize para levar um trocado, claro. O primeiro caso tem como autor Stefan Bodganovich, dono de um iPhone 7 que acaba de ser "rebaixado" com a atualização. Ele também acusa a fabricante de forçar a compra de novos aparelhos.

O segundo caso é de um coletivo de cinco consumidores, que citam que a empresa foi enganadora, imoral e anti-ética. "As corporações precisam entender que as pessoas são sofisticadas e que quando pessoas gastam seus dólares suados em um produto, elas esperam que ele funcione como esperado. Pelo contrário, a Apple parece ter obscurecido e escondido a razão pela qual telefones antigos ficam mais lentos", diz o advogado do caso, James Vlahakis.

Relembre

Vale recapitular a atitude da Apple nisso tudo. O que a empresa faz é lançar atualizações que ajudam a estabilizar baterias usadas e garantir a maior vida útil do aparelho. Só que são dois os problemas: o primeiro é que isso reduz clocks do processador e faz com que o desempenho do aparelho seja comprometido; o segundo é que ela não avisou ninguém que já fazia isso antes, até ser pega no flagra.

Cupons de desconto TecMundo: