O bitcoin teve grandes momentos desde janeiro deste ano, quando valia menos de US$ 1 mil, mas esta semana foi especial. Em questão de dias, a criptomoeda bateu recordes e ultrapassou as barreiras dos US$ 9 mil, dos US$ 10 mil e dos US$ 11 mil, sofrendo uma queda significativa, com desvalorização de US$ 2 mil e depois voltando a valer mais de US$ 10 mil.

Tanta oscilação apenas reforça uma situação um tanto quanto óbvia: o bitcoin é instável e todo o entusiasmo em torno dele pode resultar na formação de uma bolha. E quem defende tal posição é ninguém menos do que Joseph Stiglitz, economista da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, e vencedor do Prêmio Nobel de Economia de 2001.

Joseph StiglitzJoseph Stiglitz defende o banimento do bitcoin.

Em uma entrevista ao Bloomberg na última quarta-feira (29), Stiglitz foi questionado sobre a criptomoeda e teceu duras críticas. Para ele, o sucesso do bitcoin se deve “ao seu potencial de evasão, [e à] falta de fiscalização”, reforçando a ideia de que a moeda desregulada facilita a sua utilização para fins ilegais.

Como outros especialistas já fizeram antes, o economista norte-americano também alertou para a possibilidade da formação de uma bolha. “O bitcoin é uma bolha que empolgará várias pessoas por várias vezes enquanto sobe e então vai cair”, afirmou. “Então, me parece que ele deveria ser banido. Ele não tem qualquer função socialmente útil”, prosseguiu.

Cupons de desconto TecMundo: