O mundo da tecnologia dá hoje adeus a mais um dos nomes que ajudaram a construir as máquinas que todos usamos atualmente. Paul Otellini ajudou a introduzir uma das bandeiras da companhia durante os anos 90, o processador Pentium, e foi eleito o quinto CEO da Intel em 2005. A empresa manifestou os pêsames pela sua morte, aos 66 anos, sem revelar a causa.

Sob a direção de Otellini a Intel chegou à receita de US$  53 bilhões (cerca de R$ 166 bilhões) ao final de 2011

“Sob sua liderança, a empresa obteve importantes ganhos estratégicos, tecnológicos e financeiros. Isso inclui operações de transformação e estrutura de custos para o crescimento a longo prazo, o que nos permitiu assumir uma posição de liderança no segmento de mercado de servidores”, destaca o texto na página Intel Newsroom.

Otellini também ficou conhecido pela popularização da plataforma Centrino, que facilitou a conexão WiFi wireless para notebooks em meados de 2000. Entre suas limitações estão a aposta em ultrabooks de pouco poder de hardware e a falha em levar o domínio que a Intel tinha no mercado de servidores e computadores para a indústria de smartphones.

Centrino processadorOtellini ajudou a difundir o uso do Centrino, que popularizou a conexão wireless WiFi em notebooks

Mas, ainda assim, ele levou o grupo a manter a liderança junto aos fabricantes de PCs e assegurou o fornecimento de chipsets para a Apple a partir de 2005. Sob seu comando, a receita chegou a US$ 53 bilhões (algo em torno de R$ 166 bilhões) ao final do ano fiscal de 2011. Em 2013, Otellini foi substituído por Brian Krzanich.

"Ele era a voz implacável do cliente em um mar de engenheiros, e ele nos ensinou que só ganhamos quando colocamos o cliente em primeiro lugar", lembra Krzanich, ao lamentar o falecimento.

Cupons de desconto TecMundo: