Ainda nesta terça-feira (15), publicamos aqui no TecMundo uma notícia mencionando que o Facebook estava apagando alguns links que zombavam da vítima fatal do atentado em Charlottesville, mas essa não é a única notícia recente relacionada ao assunto – afinal, temos mais uma, e dessa vez ela tem ligação com o GoFundMe.

De acordo com informações que estão correndo a rede, o GoFundMe removeu várias campanhas que tinham como intuito conseguir dinheiro para ajudar James Field (o acusado de realizar o atentado), alegando que elas “não angariam fundos e foram imediatamente removidas”. Aliás, Bobby Whithorne, diretor de comunicações do site, mencionou à Reuters que vai apagar qualquer outra ação de cunho similar.

Também houve a menção de que, até o momento, sites como Kickstarter e Indiegogo não receberam nenhum tipo de campanha do gênero, mas estão monitorando a situação para tomar as medidas necessárias caso isso aconteça.

Entretanto, é válido mencionar que há outras duas campanhas acontecendo em outro site, o Rootbocks, ambas com o intuito de processar a cidade de Charlottesville. Entretanto, elas estão bem longe de alcançar as suas metas: a primeira obteve menos de US$ 3 de um montante de US$ 50 mil, enquanto a outra conseguiu US$ 8 mil de um total de US$ 50 mil.

Relembrando o fato

Além da morte de Heather Hayer, no fim de semana do ocorrido (o incidente aconteceu no sábado, dia 12) outras 33 pessoas ficaram feridas durante o protesto contra a marcha da extrema-direita dos EUA, que é contra negros, imigrantes, gays e judeus. Na última segunda-feira (14), Fields teve a sua liberdade por pagamento de fiança negada pelo juiz Robert Downer, e agora o jovem vai aguardar um novo julgamento, que está agendado para o dia 25 de agosto.

Cupons de desconto TecMundo: