A Huawei não vende mais os seus dispositivos no Brasil e isso não deve mudar nos próximos anos. Até pouco tempo atrás conhecida por vender aparelhos baratos e de qualidade duvidosa, a empresa anunciou nesta sexta-feira (28) que vai abandonar de vez o mercado de entrada e investir apenas nos aparelhos topos de linha. Com isso, é difícil imaginar que a companhia volte a atuar por aqui no mercado mobile tão cedo.

E essa decisão é totalmente mercadológica. Terceira maior fabricante de smartphones do mundo, a empresa garante não lucrar tanto com os aparelhos mais baratos. Assim, além de parar de produzi-los, a Huawei também vai mirar cada vez mais os seus mercados-chave e com potencial de consumo elevado — outras dicas de que a empresa não deve retornar ao Brasil.

“Nós estamos desistindo dos dispositivos de entrada porque a margem deles é extremamente baixa e o lucro gerado não é o suficiente”, afirmou o presidente da empresa Richard Yu em entrevista ao site Bloomberg. “A prioridade [dessa nova fase] é Europa, China e Japão, onde a economia é saudável e as pessoas estão aptas a consumi-los.”

Mate 9 (foto) vai ganhar um sucessor de peso neste ano.

E se o lucro com os aparelhos básicos não é alto, faz sentido a Huawei dar foco naquilo que ela faz de melhor. Isso porque as receitas da empresa aumentaram 36% apenas no primeiro semestre de 2017, além de ter alcançado uma fatia de 9,8% do mercado entre janeiro e abril deste ano.

Em relação a novidades, a Huawei vai apresentar o Mate 10 ainda em 2017. Mais poderoso aparelho da empresa até agora, ele promete recursos avançados para bater de frente com os seus principais rivais — Galaxy S8/S8+ e iPhone 7/8.

Cupons de desconto TecMundo: