Quem trabalha no comércio sabe que há algumas datas específicas nas quais as vendas costumam ser um pouco mais altas. De uns tempos para cá, um desses períodos no Brasil tem sido a Black Friday, que deve movimentar R$ 2 bilhões em 2016.

A estimativa acima foi feita pelo idealizador do evento no Brasil, e caso o montante acima seja alcançado isso vai representar um aumento de 34% em relação a 2015, quando esse valor foi de mais de R$ 1,53 bilhão graças ao número superior a 3,1 milhões de pedidos – para este ano, a meta é superar quatro milhões.

“No ano passado tivemos uma alta de 49% e essa tendência de crescimento deve se confirmar ainda mais com a crise econômica. As pessoas estão aguardando a data [no Brasil, ela vai acontecer em 25 de novembro neste ano] para as compras de fim de ano”, comentou Ricardo Bove, diretor da BlackFriday.com.br, idealizadora do evento em nosso país.

A contagem regressiva para a Black Friday 2016 já começou

Outro detalhe mencionado pela equipe do site é que a média de gasto deve aumentar um pouco em 2016: para este ano, a estimativa é de que o público invista pouco mais de R$ 500 em compras, algo em torno de 5% a mais se comparado ao que foi visto em 2015 (quando esse montante foi de R$ 492).

E quais serão os itens mais procurados?

Para este ano, a aposta é que o público acabe investindo mais em produtos como smartphones, televisores, notebooks e eletrodomésticos, mas também há chances de ver aumentos em ofertas como passagens aéreas e pacotes de viagem. Em 2015, as cinco categorias que mais faturaram na data foram os eletrodomésticos (R$ 371 milhões), celulares (R$ 328 milhões), eletrônicos (R$ 240 milhões), informática (R$ 147 milhões) e móveis (R$ 74 milhões).

Cupons de desconto TecMundo: