(Fonte da imagem: Reprodução/The Information)

Com o anúncio de que o Facebook decidiu comprar o Whats App por US$ 19 bilhões, veio a público a informação de que a Google anteriormente havia ofertado US$ 10 bilhões aos criadores do serviço antes que surgisse a proposta da rede social — situação bastante comum no mundo da tecnologia, não fosse o fato de que a Gigante das Buscas continuou tentando adquirir a empresa responsável pelo comunicador.

Segundo o The Information, a Google estava disposta a superar a oferta de sua concorrente, mesmo que não aparentasse realmente estar disposta a adquirir o WhatsApp. O site afirma que a intenção da empresa era simplesmente impedir que o comunicador passasse às mãos do Facebook — o que incluiu tentativas de Larry Page de tentar convencer a companhia a permanecer independente.

Aparentemente, a venda para a rede social de Mark Zuckerberg ocorreu devido à “falta de entusiasmo” demonstrada pela Google. Com isso, os criadores do mensageiro instantâneo decidiram que o software teria um futuro melhor pertencendo à linha de produtos disponibilizados pela rede social do que como somente uma adição ao vasto portfólio da Google.

Cupons de desconto TecMundo: