(Fonte da imagem: Reprodução/Telegraph)

Ao que parece, não há limites para o quão “pitoresco” o caso Megaupload pode se tornar. De fato, eis a mais recente manobra dos advogados de Kim Dotcom: de acordo com os defensores, a polícia neozelandesa simplesmente não atentou para o fato de que o empresário é um morador legítimo do país. A informação errônea deu início, posteriormente, ao monitoramento de Kim.

A questão é que a Inteligência da Nova Zelândia pode monitorar livremente as comunicações e movimentações de não residentes — mas não tem permissão para fazer isso com um compatriota.

A conclusão dos advogados, portanto, é que todo o caso envolvendo o Megaupload foi concebido sobre bases técnicas controversas — com dados obtidos de forma ilegal. Enfim, para coroar a situação, a equipe de advogados agora quer instaurar um inquérito, a fim de apurar a coisa toda.

De qualquer forma, enquanto a equipe jurídica de Dotcom se encarrega de estender o caso nos tribunais, o empresário garante que o novo Megaupload “já está 90% pronto”.

Fonte: The Register