Há alguns meses, os Estados Unidos tiraram do ar o site de compartilhamento de arquivos Megaupload e pediram a extradição de seu dono, Kim Dotcom, assim como a de outros diretores do site, da Nova Zelândia para o país. No entanto, a disputa parece estar longe de acabar.

Apesar da existência de um acordo entre as duas nações que garante a extradição automática de seus residentes sem a necessidade de apresentação de provas, o juiz David Harvey, da Corte da Nova Zelândia, afirmou que o direito de um julgamento justo dos réus estaria em risco. Para ele, a necessidade de um indivíduo de poder se defender apropriadamente se sobrepõe aos interesses de qualquer país.

Desse modo, Harvey deliberou que os Estados Unidos providenciem cópias de todos os emails e documentos que incriminariam os acusados aos seus advogados em no máximo três semanas. O advogado de defesa do Megaupload, Ira Rothken, aprovou a decisão do juiz e enalteceu a sua atitude de não ceder às pressões norte-americanas para apressar o julgamento.

Fontes: Stuff, CNET

Cupons de desconto TecMundo: