(Fonte da imagem: Reprodução 3 News)

Os dados armazenados nos servidores do Megaupload talvez não sejam os únicos que devem ser apagados por autoridades governamentais. O servidor pessoal de Dotcom, que armazena imagens do circuito interno de sua mansão, inclui vídeos que documentam a invasão policial da residência. E parece que os dados sumiram.

A batida policial na mansão de Kim Dotcom que resultou em sua prisão foi toda filmada pelas câmeras de segurança interna da residência. Mas, ao que tudo indica, as gravações desapareceram e agora ninguém sabe como foi que realmente aconteceu.

A questão foi levantada pelo canal de TV neozelandês 3 News. Segundo eles, as imagens da câmera poderiam responder muitas perguntas sobre o ataque controverso. Existem dúvidas se o FBI estava presente na invasão policial, por exemplo.

Ação abusiva

O canal questiona quais armas foram usadas no dia da invasão, para quem elas foram apontadas e se a polícia se comportou de maneira adequada. As filmagens poderiam ser capazes de responder todas essas perguntas, mas elas não foram publicadas pelas autoridades que realizaram a operação.

“Mesmo que as filmagens não sejam divulgadas publicamente, onde estão?”, pergunta o canal de forma retórica, em reportagem publicada sobre o caso.

Em fevereiro desse ano, Kim Dotcom afirmou em depoimento no tribunal da Nova Zelândia que levou um soco no rosto e foi chutado enquanto estava no chão. “Um cara pisou na minha mão e deixou minha unha sangrando, foram bastante agressivos”, relatou o fundador do Megaupload.

Pedido negado

O canal de notícias 3 News afirma ainda que as imagens das câmeras de segurança não estavam no mandado de apreensão e não tinham influência sobre quaisquer acusações contra Kim Dotcom. 

Segundo o canal, a equipe jurídica de Dotcom tentou obter as filmagens para registrar uma queixa às autoridades sobre a invasão policial, que eles consideram como “excessiva e desajeitada”.

Eles solicitam a filmagem desde janeiro, mas a polícia recusava-se a entregar. Quando finalmente eles concordaram em ceder, um especialista de TI chegou à delegacia e encontrou o servidor completamente desmontado — e as autoridades disseram que não poderiam remontá-lo ou oferecer qualquer filmagem.

De acordo com a polícia, em um email enviado ao canal, as gravações estão em um disco rígido apreendido legalmente sob um mandado obtido por ela. Enquanto o filme permanece indisponível, ficará difícil descobrir o que de fato aconteceu no dia da invasão.

Cupons de desconto TecMundo: