(Fonte da imagem: Reprodução/Trade and Export Me)

O porto de Khalifa, na capital dos Emirados Árabes Unidos, é um gigantesco e moderno complexo construído em uma ilha artificial a cinco quilômetros de extensão da costa de Abu Dhabi.

Inaugurado em setembro de 2012 para substituir o antigo porto de Mina Zayed, que já não suportava a demanda de carga do Emirado nos últimos anos, o porto de Khalifa tem capacidade de processar até 2,5 milhões de containers TEU (em inglês, twenty-foot equivalent unit, unidade equivalente a 20 pés) anualmente.

O porto é parte da zona industrial Kizad (Khalifa Industrial Zone Abu Dhabi), localizada em uma área de 418 km² entre Abu Dhabi e Dubai, que está recebendo investimento do Emirado para a criação de um novo polo econômico.

O projeto prevê a expansão do complexo portuário, que está sendo construído por etapas. Até 2030, a previsão é que o porto de Khalifa tenha capacidade para até 15 milhões de containers TEU e 35 milhões de toneladas em cargas, tornando-se um dos maiores e mais movimentados portos de todo o mundo.

Crescimento e diversidade econômica

“Para Abu Dhabi continuar crescendo, precisava de um novo porto”, disse o presidente-executivo da Abu Dhabi Ports Co., Tony Douglas. “O segundo motivo [para essa construção] é que era preciso diversificar a economia da região para além do petróleo, e esse é um grande passo para setores da indústria de alumínio, vidro e aço que precisavam de uma base no Emirado”.

Hoje, a economia de Abu Dhabi é quase totalmente dependente da exploração petrolífera, e um dos objetivos do governo em criar novos ramos de desenvolvimento é garantir a autossustentabilidade e a prospriedade do Emirado no futuro. Por isso, uma nova zona industrial está sendo criada na região, com apoio logístico e estrutural que auxilie o estabelecimento de novas atividades.

(Fonte da imagem: Reprodução/Khaleej Times)

Enquanto o antigo porto de Mina Zayed, localizado no coração da capital, deixa de ser utilizado para o transporte de cargas e passa a ter um foco maior no turismo – o que deve melhorar a qualidade de vida dos moradores de Abu Dhabi –, o porto de Khalifa passa a realizar as operações mais pesadas e em grande escala, além de contar com os equipamentos mais modernos para complexos portuários.

O governo e os investidores acreditam que o porto de Khalifa vai ter um impacto significativo na economia da região. O porto está localizado em uma área relativamente subdesenvolvida da costa de Abu Dhabi, e espera-se que indústrias se estabeleçam nas proximidades. Novos empregos serão criados e, como consequência, haverá a necessidade de estabelecer uma cidade, com opções de moradia, escola e serviços a esses trabalhadores e suas famílias.

Porto de alta tecnologia

Além de ser uma aposta do Emirado para o desenvolvimento e crescimento da região, o porto de Khalifa chama a atenção também pelo emprego da mais alta tecnologia em transporte e processamento de cargas.

Todos os controles no pátio de containers são feitos de forma automática. Torres de comando gerenciam o transporte e o deslocamento dos materiais, e gigantescas máquinas fazem o carregamento de cargas nos enormes navios que atracam no cais.

As águas do porto têm 16 metros de profundidade, o suficiente para acomodar grandes cargueiros. Operacionalmente, o complexo portuário de Khalifa tem 30 guindastes de empilhamento automático, além de 20 veículos para carregar as cargas no pátio. Os braços dos guindastes estão entre os maiores do mundo e são capazes de empilhar até 22 containers TEU.

Os mecanismos de verificação e análise dos conteúdos, com informações sobre as cargas, procedência, origem e destino são também todos automatizados, e com um sistema interligado diretamente com os serviços alfandegários da região.

A ilha artificial onde o porto está localizado se conecta ao continente através de uma estrada e de uma ponte de 1 km de comprimento. O governo espera ampliar a rede ferroviária e de estradas a partir do porto, e quem sabe assim conectar o Emirado a um futuro econômico rico e promissor.

Cupons de desconto TecMundo: